Qualidade de vida: jovens equilibram trabalho e vida pessoalOlhando para os últimos anos, uma nova geração está ganhando cada vez mais destaque no mercado de trabalho. A “Geração Y” engloba jovens entre 18 e 29 anos que, mais do que outras gerações, passam muito tempo conectados à Internet.

Um estudo realizado pela fabricante de celulares Ericsson identificou que a geração Y brasileira tem mais da metade das pessoas conectadas à Internet por pelo menos uma hora por dia. Mais de 20% passam mais de três horas na rede e poucos distinguem se o que fazem tem ver a com a vida pessoal ou a profissional. É “tudo junto e misturado”.

Justamente por misturarem a vida pessoal e a profissional, segundo o levantamento com mais de 350 pessoas, esses jovens valorizam muito mais o equilíbrio do que os mais velhos. Aquele mantra de workaholic está deixando de ser a primeira opção dos jovens empregados.

“Essa geração não vive para trabalhar, o trabalho é que precisa se encaixar no plano de vida deles”, afirma Luciana Gontijo, responsável pela área de consumer lab da Ericsson para a América Latina, que faz pesquisas sobre os consumidores da marca.

A motivação desses profissionais é pela experiência que o trabalho pode oferecer e não pela possibilidade de fazer carreira na mesma empresa. A grande maioria dos entrevistados, 90%, diz que só trabalha com aquilo que gosta. Ao mesmo tempo, 45% afirmam que querem alcançar um status social mais alto do que o que têm no momento, mas não fariam a qualquer custo.

Dessa maneira, é possível notar a preocupação com a qualidade de vida e de fazer o que é agradável para si mesmo, uma vez que 22% dos participantes da pesquisa já são donos do próprio negócio.

As condições do ambiente de trabalho também influenciam a opinião dessa geração na hora de escolher um emprego. Cada vez mais conectados, a flexibilidade de horário e local de trabalho são aspectos bastante valorizados pelos jovens. Mais de 60% consideram importante poder ser encontrado a qualquer momento, 31% já possuem celular com acesso à internet e 27% usam a rede a partir de um notebook.

“Eles se perguntam por que precisam estar no escritório e dizem ‘se quero produzir o melhor de mim, posso estar onde eu quiser para isso’”, explica Luciana.

Presença relevante na internet

As empresas precisam mais do que nunca de um grande entendimento do mundo online para se comunicar com esses jovens. Uma análise qualitativa da pesquisa mostrou também a importância das empresas manterem uma presença relevante na grande rede.

Para atrair esses profissionais, as empresas devem ficar atentas, visto que 90% dos jovens estão cadastrados em pelo menos uma rede social, 56% fazem atualizações diárias e 25% também o fazem do celular. Assim, a permissão do uso de mídias sociais durante o expediente – mesmo que para fins pessoais – é mais do que bem vista pelos empregados.

Segundo Luciana, se o jovem perceber que a empresa não entende e não possui presença na internet, ele perde o interesse em atuar na organização. “O pensamento é: se a empresa não está se relacionando com a rede, ela não quer se relacionar comigo”, diz.

Por que essa notícia é importante?

Particularmente, eu vejo essa pesquisa com um reflexo das novas necessidades do mercado. Claro, estar conectado 24 horas por dia é uma possibilidade recente graças à popularização dos smartphones, mas muitos profissionais precisam das redes sociais para se comunicar e até mesmo se organizar.

Se ele sabe que suas responsabilidades não serão comprometidas pelo uso da internet para fins pessoais durante o expediente, cabe a ele encontrar um lugar que ofereça esse cenário. O empregador que quer atrair esses jovens precisa entender que dar essa possibilidade aos seus funcionários é agregar valor para a empresa, porque eles veem isso como qualidade de vida – e gente feliz produz mais.

Por sinal, este é um assunto recorrente nos artigos do Dinheirama. Nós entendemos que a qualidade de vida é atingida por um equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal. Sobre o tema, recomendamos a leitura de alguns artigos:

Fonte: Valor. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários