Todos nós sabemos o impacto que uma carreira de sucesso pode ter nas nossas finanças. Afinal, um profissional bem-sucedido costuma receber remunerações polpudas, e nada melhor do que um bom salário para alavancar nossa vida financeira, não é verdade?

Entretanto, a ordem inversa também é verdadeira, mas pouca gente se dá conta disso. Da mesma maneira que o sucesso profissional impacta na vida financeira, a organização financeira impacta na vida profissional.

A maioria das pessoas com dificuldades financeiras acredita que uma maior remuneração é a solução de todos os seus problemas. Não é! Ou melhor, pode até ser, mas para conseguir melhorar seus rendimentos é preciso, primeiro, estruturar-se financeiramente. Ainda não entendeu o impacto que as finanças em dia podem representar na sua carreira? Eu explico!

Pessoas que enfrentam problemas financeiros possuem uma probabilidade muito maior de passar por conflitos familiares. Esses conflitos, por sua vez, dificultam o foco e diminuem a produtividade do profissional no seu trabalho.

Profissionais sem foco e pouco produtivos dificilmente conseguirão ascender profissionalmente. Ora, quem não cresce profissionalmente, não ganha mais, e quem não ganha mais tende a enfrentar problemas financeiros. Simples assim!

Entendeu agora? A desorganização financeira gera uma espiral de acontecimentos negativos que fazem com que o seu crescimento profissional seja muito lento e, em muitos casos, nem mesmo aconteça. As consequências disso você talvez esteja sentindo na pele.

Leitura recomendada: Guia de planejamento financeiro para desorganizados

Uma pessoa financeiramente organizada consegue romper com esse ciclo vicioso; pagar suas contas em dia; evitar que problemas financeiros perturbem o ambiente familiar; ter um melhor desempenho na sua profissão; e, talvez o mais importante, ter recursos para investir em si próprio, na sua carreira e no seu desenvolvimento profissional.

Se você é uma pessoa desorganizada financeiramente, é bem possível que esteja enfrentando algumas das dificuldades que mencionei acima. Mas tenha calma: sempre existe uma solução!

A solução, nesse caso, começa por elaborar um orçamento e destinar parte das suas receitas para investir na sua própria carreira. Destine um percentual do que você ganha para isso, seja 5%, 10%, 20% ou quanto você achar mais adequado, e invista na sua carreira.

Esse investimento pode ser feito de diversas maneiras, mas destaco duas que considero especialmente importantes: conhecimento e imagem.

No tocante ao investimento em conhecimento, você pode fazê-lo através da aquisição de livros, cursos, pós-graduação, intercâmbio e por aí vai. A ideia é saber e praticar mais para acumular experiência.

Já no que diz respeito à imagem, você pode utilizar esses recursos para dar um upgrade no seu guarda-roupa corporativo, adquirindo melhores roupas; ou quem sabe comprando um notebook ou tablet mais moderno para você utilizar nas suas reuniões de trabalho. Não se engane, marketing pessoal e imagem são fatores importantes, mas não confunda isso com busca por status.

Quer crescer na sua carreira? Invista nela! Antes de colher, é preciso plantar. Infelizmente, muitas pessoas não se dão conta disso e acabam deixando de investir no mais importante: suas próprias carreiras. Obrigado e até a próxima!

Leitura recomendada: Inteligência emocional e prioridades: a combinação perfeita para resolver problemas financeiros

Foto “Upstairs”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários