Quanto custa ter um filho? Gasto pode ultrapassar R$ 2 milhõesCriar um filho não é uma tarefa simples, disso sabemos, certo? Seja pelos exemplos que precisam ser passados ou pelos contínuos gastos ao longo de muitos anos, trata-se de um desafio bem grande. E é preciso encarar a realidade: embora a chegada de um filho seja um momento inesquecível, criar uma criança não sai nada barato para seus pais e/ou responsáveis.

Em pesquisa realizada pela Invent (Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing), constatou-se que os gastos para criar um filho até os 23 anos podem ultrapassar 2 milhões de reais, dependendo da classe social da família.

O presidente do instituto e responsável pelo levantamento de gastos, Adriano Maluf Amui, considerou a classe A com uma faixa salarial acima de R$ 25 mil por mês, a classe B com renda entre R$ 6 mil e R$ 25 mil, a classe C com um salário entre R$ 2 mil e R$ 6 mil e, finalmente, a classe D com menos de R$ 2 mil. Além das classes sociais, a pesquisa também foi dividida pelos tipos de gastos.

A categoria que consome maior parte da renda das famílias é a educação, representando 34% na classe A, 39% na classe B e 45% na classe C. Ao longo de 23 anos, uma família de classe B chega a gastar R$ 365,9 mil para dar melhores condições de estudo e ensino para um filho.

Os gastos levantados são variados, como “mesada” e “cursos diversos”, mas no geral os tipos de gastos abrangem as contas domésticas, como educação, lazer e entretenimento, reserva financeira, saúde, tendências e vestuário. Veja abaixo o valor gasto com um único filho em 23 anos em cada item, por classe social.

Custo de um único filho em 23 anos (em R$)

Tipo de gasto

Classe A

Classe B

Classe C

Classe D

Alimentação115,2 mil96 mil45,8 mil23 mil
Babá e adicional empregada doméstica170,4 mil151,2 milzerozero
Energia, telefone e TV a cabo59,4 mil51 mil15,6 mil5.760
Alimentação escolar46,8 mil26,7 mil15 milzero
Berçário, ensino fundamental e médio e universidade453,6 mil206,4 mil96 milzero
Cursos diversos56,5 mil26,4 mil16,8 milzero
Materiais didáticos, livros, CDs e revistas25,2 mil21,6 mil17,7 milzero
Mesada74,9 mil52,4 mil24 milzero
Transporte46,5 mil32,4 mil15,6 milzero
Academia, clube e associações56,8 mil31,2 mil14,4 milzero
Cinemas, teatros e shows30,2 mil15,6 mil9.6004.800
Festas de aniversário200,7 mil24 mil9.600zero
Viagens, férias e passeios133,2 mil24 mil5.200zero
Fundos/investimentos149,5 mil28,8 mil4.800zero
Despesas diversas e farmácia37,3 mil21,2 mil18,2 milzero
Médicos particulares, pediatra e dentista36,9 milzerozerozero
Plano de saúde83,5 mil57,6 mil56,4 milzero
Brinquedos, informática, telefonia e novas tecnologias160,7 mil36,6 mil15,6 milzero
Roupas e calçados148,8 mil45 mil26,8 mil20,1 mil

Total

2,08 milhões

948,1 mil

407,1 mil

53,7 mil

Os gastos totais assustam?

Informações assim são importantes para dimensionarmos o quanto a educação financeira é importante para nossa formação, crescimento pessoal e familiar. O Dinheirama já publicou uma série de artigos que auxiliam o planejamento financeiro quando se tem filhos. Convido você a conferir:

Quer mais? Confira todos artigos publicados sob as tags filhos, família e criança. Nosso objetivo é contribuir para um saudável e produtivo debate em torno das finanças familiares, sempre com o objetivo de valorizar o dinheiro como instrumento de liberdade e qualidade de vida.

Se você tem filhos, por favor relate sua experiência no campo de comentários mais abaixo. Se não tem, conte-nos como esses dados influenciaram sua percepção sobre o tema. Até a próxima.

Fonte: Invent. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários