Por que eu devo me preocupar com um ciclo de queda nas taxas de juros? Porque eles afetam diretamente a rentabilidade de todos os investimentos atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

E o que isso significa na prática? Que você poderá estar deixando de ganhar dinheiro (ou até perder), se não fizer os devidos ajustes em seus investimentos.

Se você tem investimentos como Fundos DI, Tesouro Selic, CDB, LCI, LCA ou qualquer outra aplicação indexada ao CDI, então precisa ficar atento aos movimentos dos juros do país.

A caderneta de poupança é um bom exemplo do que estamos querendo demonstrar. Há mais de um ano, quem tem dinheiro na poupança (e muita gente ainda tem), está sofrendo prejuízos.

Leitura recomendada: A Morte dos Fundos DI. Será?

Isso porque a inflação medida pelo IPCA tem superado a rentabilidade da poupança em todo este tempo, gerando o prejuízo através da perda do poder de compra.

Mas por quê as pessoas ainda investem na poupança? Por estarem desinformadas sobre tudo isso, ou por simples comodismo, algo muito perigoso quando o assunto são os investimentos.

A economia é dinâmica, e com isso precisamos estar atentos aos movimentos de alguns indicadores, principalmente os juros do país, medido pela taxa Selic, e a inflação, medida pelo IPCA.

Um exemplo comparativo de Fundos DI

No início de 2013, por exemplo, a taxa de juros esteve na casa dos 7,25%. No meio de 2015, já estavam em 14,25%. Essa variação ocorreu num período de pouco mais de 2 anos, de forma sutil. Muitos nem perceberam como isso afetou seus investimentos.

Agora veja o que esta “sutileza” causa em alguns Fundos DI (veja também a taxa de administração anual e compare com as rentabilidades anuais):

Queda nos juros: a poupança de hoje é seu DI amanhã

Existe uma combinação perigosa nos Fundos de Investimento: juros baixos (que geram rentabilidade baixa) e taxas de administração altas.

E qual seria a saída para este tipo de situação, considerando que vamos ter novamente um ciclo de baixa nos juros de nosso país? Colocar o dinheiro em Fundos criteriosamente selecionados, com bons gestores, taxas de administração dignas e que proporcionam excelentes rentabilidades.

Então, recapitulando:

  1. A poupança de hoje é seu DI amanhã: o pior investimento que você pode fazer.
  2. Existem outros tipos de fundos com enorme potencial de lucro, sem exposição a riscos desnecessários.
  3. Não dá para sair investindo em qualquer fundo sem avaliação prévia, e muito menos confiar cegamente no seu banco de varejo.

Como resolver o problema

Agora a pergunta que surge é óbvia: como saber quais são os esses Fundos de Investimento que aproveitam nos ciclos de alta de de baixa para continuarem entregando excelentes rentabilidades para seus clientes?

É aqui que entra o trabalho da Empiricus, que é a maior casa de consultoria de investimentos do Brasil. Oferecemos recomendações e relatórios de investimentos extremamente acessíveis ao investidor comum. Informações estas que antes estavam ao alcance apenas dos grandes investidores.

Clique aqui e saiba quais são os melhores Fundos de Investimento que revolverão o seu problema e irão manter a boa rentabilidade do seu dinheiro.

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.