A queda do Lehman Brothers e uma das maiores crises econômicas da históriaOnde você estava em 15 de setembro de 2008? Nessa data fatídica o mercado tomou conhecimento da quebra do banco de investimentos Lehman Brothers, que serviu de gatilho para uma grande crise econômica de consequências mundiais – também conhecida como a “Crise de Subprime”.

Quem não se recorda do início da crise, vale relembrar como tudo começou. Veja um trecho de um artigo, aqui mesmo do Dinheirama, escrito em janeiro de 2008 quando os sinais de que algo não vinha bem na economia se intensificavam:

“A crise não é segredo e se iniciou com dados preocupantes do setor imobiliário norte-americano, que vinha de um boom nos últimos anos. A oferta de crédito para esse setor foi enorme e sem critérios decentes que fundamentassem sua concessão. Traduzindo, muito crédito e pouco critério e garantia de solvência. Fácil assim!

O grande cerne da crise surgiu quando a inadimplência do segmento chegou a índices alarmantes, causados por empréstimos de risco (subprime) para pessoas que já possuíam histórico de inadimplência. O crédito subprime representa o crédito de ‘segunda linha’.

Por causa do alto volume de dinheiro disponível nessa modalidade de crédito, o subprime foi um setor que ganhou força e cresceu muito. Assim, fica evidente que o tamanho da crise é diretamente proporcional à desenfreada expansão do setor.

A disponibilização do crédito saía com juros altos, dado o maior risco do empréstimo e isso atraia os gestores de fundos e bancos. Havia, claro, a expectativa de retornos maiores. Estes gestores permitem, ao comprar mais títulos das instituições que fizeram o primeiro empréstimo, que um novo montante de dinheiro seja novamente emprestado, antes mesmo do pagamento do primeiro.”

Olhando para o futuro

Agora, passados 5 anos do inicio da crise, é mais fácil dimensiona-la. Para relembrar esse acontecimento, meu amigo André Moraes, profisisonal do home broker Rico.com.vc, preparou um vídeo muito bacana que explica, de uma maneira simples, o que aconteceu durante a crise sob o ponto de vista do investidor.

O bacana é que o próprio André teve sua primeira experiência de crise em 2008, então seu testemunho é bem interessante. Acompanhe:

Que as lições dessa crise possam ser levadas em consideração para o futuro, com a perspectiva sempre de que com crises também surgem grandes oportunidades. Grande abraço e até a próxima.

Foto economic recession, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários