Muitas pessoas ainda não consideram buscar ajuda de um profissional de finanças quando o assunto é dinheiro. O mito de que só os ricos podem usufruir de consultoria financeira ainda não foi totalmente vencido. Com o objetivo de desfazer esse mito, vou comentar neste post sobre quais as pessoas que mais precisam dessa assessoria e como um profissional poderá ajudar em cada caso.

É fato que a orientação varia de um indivíduo para ou outro, conforme as particularidades de cada situação, mas em linhas gerais, podemos situar as pessoas que precisam ou não de assessoria em três grupos: os que podem dispensar o acompanhamento financeiro profissional, os que precisam de acompanhamento financeiro absoluto e os que precisam de acompanhamento parcial.

Quem não precisa de ajuda financeira

No grupo dos que não precisam buscar ajuda financeira estão os jovens que não trabalham e que possuem tempo livre para aprender como funcionam os produtos financeiros e também para investir por conta própria. Por possuírem o tempo a seu favor, estes jovens também podem arriscar mais, colocando em prática a teoria e seu nível de conhecimento à prova.

Existe uma relação entre o aprendizado financeiro, o dinheiro e o tempo disponível que as pessoas têm. De maneira geral, conforme o tempo passa as pessoas adquirem mais conhecimento sobre finanças e ganham mais dinheiro.

Por outro lado, quando constroem família e trabalham mais, passando a ter menos tempo para se dedicar a alocação de seus recursos, as pessoas começam a precisar buscar aconselhamento profissional.

Quem precisa de acompanhamento absoluto

No grupo dos que precisam de acompanhamento financeiro absoluto estão os membros de famílias muito ricas, pois é necessário acompanhar diariamente os mercados de maneira a alocar adequadamente o grande volume de recursos do portfólio e fazer o melhor planejamento tributário e sucessório possível.

De uma maneira geral, são famílias auxiliadas por escritórios especializados na gestão de fortunas.

Quem precisa de alguma consultoria financeira

No outro grupo, das que precisam de acompanhamento financeiro parcial, estão as pessoas que não têm o tempo ou o conhecimento necessário para gerir seus próprios recursos.

Neste grupo se enquadram os profissionais em fase de ascensão na carreira, os que estão construindo um negócio e também as famílias menos abastadas. Estes são os indivíduos que possuem o desejo de construir patrimônio maior e ter uma aposentadoria confortável e que sem assessoramento podem empregar estratégias financeiras inadequadas, que inviabilizem o alcance dos objetivos no médio e longo prazo.

Além de aconselhamento sobre a melhor alocação de recursos, os consultores financeiros também devem ser procurados diante das seguintes situações:

Mudança de emprego 

Ao trocar de trabalho, as pessoas com pouco conhecimento sobre a área de finanças podem procurar um profissional para saber como tirar maior proveito dos benefícios que a empresa na qual trabalham oferece, como, por exemplo, previdência privada.

O profissional também pode auxiliar no ajuste e organização de um orçamento pessoal e criar um plano de investimento para os objetivos de médio prazo, como comprar uma casa.

Casamento ou divórcio

A opinião profissional (e imparcial) de um terceiro no momento de unir ou separar o patrimônio e (re)conciliar diferenças nos hábitos de gastos e/ou poupança pode ser fundamental para evitar futuros problemas, sobretudo para quem tem filhos e precisa planejar o futuro desses dependentes, do colégio ao casamento.

Recebimento de grandes valores

Quem vai receber um grande valor, como uma herança, venda de negócios ou qualquer outro evento, também deve procurar um profissional com o objetivo de melhor administrar os recursos, pagar menos impostos e maximizar o retorno ou ainda gerar renda. 

Oscilação dos mercados

Em momentos de volatilidade e incerteza econômica, os investidores individuais se tornam mais vulneráveis na tomada de decisões que podem inviabilizar o alcance de seus objetivos. Isso acontece porque tendemos ser muito mais emocionais quando o assunto é o nosso dinheiro.

Um profissional pode ajudá-lo a tomar decisões racionais, sem deixar a emoção atrapalhar a escolha sobre os melhores produtos para compor a sua carteira de investimentos. O profissional irá ajudá-lo a administrar a emoção, pois sabe que é normal o mercado ter altos e baixos e já vivenciou vários momentos assim.

Aposentadoria

Poucos são os indivíduos que se preparam para aposentadoria. Uma pesquisa sobre o tema realizada pelo HSBC constatou que apenas 1% dos brasileiros é capaz de manter o padrão de vida na aposentadoria. Quem deseja fazer parte deste seleto grupo deve procurar um profissional que pode ajudar você a construir realisticamente o cenário para poupar para a aposentaria, montando um plano que permita que você se aposente com o maior conforto possível.

Porém, não são apenas os indivíduos que planejam a aposentaria que precisam da ajuda de um profissional. Quem acabou de se aposentar também deve procurar um consultor que ajude a determinar uma estratégia para gerar renda com o objetivo de que o dinheiro acumulado não acabe antes do tempo.

Precisando de ajuda profissional?

Hoje em dia a consultoria financeira não é de benefício exclusivo das pessoas mais ricas. Todos podem ter acesso a este tipo de ajuda profissional.

No momento de procurar um profissional para auxiliá-lo, tenha apenas o cuidado de verificar se este é apto a exercer tal função, possuindo registro na CVM, na Anbima ou no IBCPF.

Se você precisar de ajuda para encontrar os melhores investimentos para os seus objetivos de investimento ou para pensar num plano para o seu patrimônio, entre em contato comigo através do canal “Fale com a Sandra”, no site da Órama. Até a próxima.

Nota: Esta coluna é mantida pela Órama, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto: Business meeting, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários