Quem gasta mais, homens ou mulheres?Algum tempo atrás, na Sociedade Dinheirama, ou simplesmente fórum, como os mais íntimos costumam chamar, abri uma enquete para saber a opinião dos leitores e tentar chegar a uma conclusão sobre um dos pontos mais polêmicos do cotidiano financeiro[bb] das pessoas. Afinal, quem gasta mais, o homem ou a mulher? Cuidado, você pode estar completamente enganado.

Ele ou ela?
De acordo com a pesquisa realizada no fórum, 100% das respostas apontaram as mulheres como as mais gastadoras. Como já dizia Nelson Rodrigues, toda a unanimidade é burra. Para a surpresa (ou não) de muitos, nós homens somos os mais gastadores. Calma! Não estou inventando nada, são dados confiáveis que apontam nessa direção. Ainda não acredita? Um levantamento realizado pelo IBOPE, divulgado durante o ano de 2007, mostrou que os homens em média gastam 12% mais do que as mulheres nos hipermercados.

No estudo, foram entrevistadas 16.738 pessoas em 9 cidades de médio e grande porte. Surpreso? Ainda não acabou. Se a comparação for realizada usando as lojas de rua como referência, os homens gastam 8% mais. Para piorar ainda mais o nosso lado, quando falamos de compra em shopping centers os homens gastam 24% mais em uma única visita, segundo a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers).

Chega? Que nada, o tiro de misericórdia ainda vem por ai. Segundo um estudo do site e-bit, o gasto masculino chega a ser 30% maior do que o feminino quando o assunto são compras pela Internet. Confesse, quantas vezes você já viu sua mulher comprando no Submarino? E você, quantas vezes já comprou? Compare!

Mas e a fama de gastadoras?
Ainda de acordo com o estudo do e-bit, os estudiosos dizem que a fama de perdulárias das mulheres nos remete à uma das figuras mais importantes da história moderna: Maria Antonieta. Ela expôs, durante seu reinado na França e ao lado do marido Luis XVI, o seu lado consumista. O apego de Maria Antonieta ao consumo era tanto que, mesmo nas vésperas da Revolução Francesa, a imperatriz foi presença constante nas lojas de Paris comprando sempre pilhas de vestidos.

A partir daí, a fama foi se espalhando e, advinha, também chegou ao Brasil.

Durante muito tempo as mulheres foram diretamente responsáveis pelas compras domésticas. Hoje, com uma sociedade mais moderna e justa, esse papel está sendo dividido com os homens, que via de regra não imaginavam e não se prepararam culturalmente para isso. Já era hora. Mas confesse, você gosta de ficar procurando, nos hipermercados da vida, qual é marca de açúcar mais barata entre as 20 (ou mais) marcas disponíveis?

Infelizmente, a grande maioria das respostas será “Não”. Muitos ainda dirão um “NÃO” mais enfático. Acabamos, na maioria das vezes, optando pela marca que está ali (estrategicamente) mais acessível. Tem outra, a fila no caixa está “sempre” enorme e em 20 minutos começa a decisão do Campeonato Brasileiro[bb] Sub-16. Imperdível! Pois é, nós homens temos desculpas para tudo quando o assunto é gastar rápido e não gastar melhor.

Pois é! E agora?
A realidade é uma só: independente do que diz a pesquisa, em todo o relacionamento sempre haverá alguém mais gastador, ainda que os dois se julguem sempre muito controlados. A verdade é que ambos gastam, mas por forma e motivos diferentes. O grande segredo é compreender essas razões e passar a questioná-las com mais frequência. O professor Samuel Marques exemplifica:

“As mulheres gastam R$ 1,00 comprando algo que não precisam, mas que vale R$ 2,00. Já os homens gastam R$ 2,00 em algo que realmente precisam, mesmo que isso na verdade valha apenas R$ 1,00”

A percepção de valor é algo que fundamenta as relações humanas e de negócios, transformando o emocional em forte fator decisivo. De uma forma geral, noto que as mulheres gastam mais por segurança, aparência estética e bem estar da família, enquanto os homens são guiados muitas vezes pelo status e bem estar próprio. Sabe aquele carrão, que o financiamento e os juros são muitas vezes superiores ao valor das 120 sandálias e vidros de perfume[bb] comprados pelas sua mulher? Pense mais nisso!

O fato é que as mulheres gastam menos e são mais tolerantes com os gastos dos namorados e maridos. Nós homens geralmente gastamos mais e ainda lançamos mão daquele velho bordão conhecido por todos: “A minha mulher gasta demais” Isso, como vemos, não é verdade. As mulheres, mais inteligentes que são, já sabem disso, quer assumam, comentem ou não. Peguem pesado meninas, nós merecemos!

Você ainda não conhece a Sociedade Dinheirama? Acesse, cadastre-se e tenha acesso muitas dicas de mercado, educação financeira e finanças pessoais. Clique aqui e divirta-se!

——
Ricardo Pereira é Analista Financeiro Sênior da ABET Corretora de Seguros, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários