Assunto complicado este de aumento de salário. Embora hoje eu não esteja mais trabalhando como empregado CLT, mas sim como PJ (pessoa jurídica, com minha própria empresa), entendo razoavelmente bem esse assunto de forma prática, pois foram 18 anos trabalhando como Engenheiro no setor de Telecomunicações.

A choradeira é sempre a mesma:

  • “A empresa não reconhece o meu trabalho”;
  • “Fulano acabou de ser contratado e com um salário maior que o meu”;
  • “Eu vi lá no RH uma lista de salários e o eu meu está entre os menores. Sou um trouxa mesmo”;
  • “Quero que a empresa se dane. Só trabalho mais se ganhar aumento”.

Dá pra engordar bem essa lista de frases, mas você já sabe como fazer isso – talvez você mesmo tenha aí na sua mente uma lista bem maior. E não vai ficar bravo comigo, pois costumo reconhecer meus erros e já fui um “reclamão” em muitas ocasiões.

A questão é que com o tempo e as experiências vividas, entendi que eu estava errado. Agora que estou do “outro lado do balcão”, percebo o quanto fui imaturo em vários momentos.

Gaste sua energia para conquistar seus objetivos

Ainda que a empresa onde você trabalha seja ruim em termos de gestão de pessoas e que você realmente esteja sendo injustiçado por não navegar bem neste ambiente “político”, a decisão quanto ao seu futuro continua nas suas mãos.

Sei que estamos em tempos difíceis e manter um emprego é algo no mínimo inteligente. “Engolir sapos” faz parte da rotina de praticamente todos os empregados. O problema é que criamos aquela expectativa maravilhosa a respeito dos empregos e das empresas, e aí qualquer frustração já é motivo para o “chororô”.

Vamos então ao que interessa. Em todas as experiências da vida, precisamos aprender a reclamar menos e fazer mais. Com nossos empregos não tem que ser diferente.

Leitura recomendadaO que é felicidade? Mais gratidão e menos reclamação

Em vez de ficar reclamando que o ambiente não é legal, que o chefe não sabe nada sobre liderança ou que o RH da empresa mais parece um departamento de contratações e demissões, aprenda de uma vez por todas a colocar o foco no seu trabalho e no dinheiro que você ganha com ele, seja lá quanto for.

Mais uma vez, deixe de gastar suas energias emocionais em coisas que não vão mudar e seja você a mudança que tanto quer, focando no seu trabalho e em cuidar bem do salário que você recebe.

Vamos analisar melhor essas duas coisas.

Surpreenda seu chefe da melhor forma: desempenhe suas tarefas com maestria

Não seja ingênuo a ponto de pensar que você precisa primeiro receber alguma recompensa da empresa onde trabalha para só então melhorar sua “performance”. A ordem é exatamente oposta.

Primeiro você trabalha feito um “trator”, entregando não apenas o que pediram para você, mas muito mais que isso. A famosa “milha extra” é o passaporte mais rápido para um aumento salarial.

Chega uma hora que o constrangimento do seu chefe e da equipe será tanto ao ver que você faz tudo o que se espera, e mais um “pouco” (esse pouco não apenas do chefe, mas dos colegas também), que será praticamente impossível você não ser respeitado e premiado com alguma coisa.

Você fará alguns inimigos também, pois os medíocres não lidam bem com isso, mas tudo bem. Nem Jesus Cristo conseguiu agradar a todos, por que você conseguiria?

Além disso, você vai criar uma situação interessante de dependência com seu chefe e colegas, pois todos verão em você uma peça chave para a equipe. Aí tem gente que vai pensar assim: “Mas desse jeito eu não vou nunca conseguir ocupar o lugar do chefe, pois ele precisará de mim onde eu estou”.

Bem, a vida é um risco, mas a prática me mostra que as chances são bem maiores de você ser melhor remunerado e também assumir novas responsabilidades. Para aumentar as chances, seja mais amigo do chefe, almoce mais com ele e, principalmente, ajude-o a subir de posição também, liberando mais tempo para que ele possa fazer um trabalho similar com o chefe dele.

Vídeo recomendadoNetworking e Relacionamento como Ferramentas para Enriquecer

Depois é um efeito dominó. Ele sobe e você ocupa a posição dele – se quiser, pois tem muita gente que quer só o aumento salarial e não o aumento de responsabilidades (algo difícil de desvincular, mas possível).

Além disso, o chefe pode também sair da empresa para outra aventura, pode ficar afastado por um imprevisto ou algo do tipo, e você estará pronto para ser o interino, em um test-drive de chefia, onde poderá sentir na pele que ser chefe é muito mais difícil do que você imagina.

O fato é que você precisa estar pronto quando a oportunidade aparecer, e é impossível fazer isso se não for uma pessoa muito proativa. É duro, pode parecer injusto, mas é o caminho. Se quiser, pague o preço. Se não quiser, tudo bem; mas, por favor, não reclame!

Cuide bem do seu dinheiro: ele não costuma dar em árvores

Esse talvez seja o real motivo de tantas queixas: a preguiça que muita gente tem de cuidar do próprio dinheiro, o que é um baita contrassenso. O sujeito faz um barulho danado querendo ganhar mais, mas se a empresa der um prêmio de 200 mil reais, em menos de 6 meses ele já terá torrado tudo em bobagens, e vai voltar com o “mimimi” novamente.

Se dinheiro é algo importante e é motivo de tantas reivindicações, estudos, deslocamentos longos, múltiplas horas extras, discussões com a esposa (que reclama que não temos tempo para ela e para os filhos), então por que é que as pessoas são tão lentas em aprender a fazer uma operação especulativa na bolsa de valores, para pegar uma ação da Vale por R$ 7,00 e vender dois meses depois por R$ 13,00 e lucrar 85% no período?

Medo da ação cair mais e perder muito dinheiro? É só comprar a mesma quantidade em “opções de venda” de Vale, com um strike no preço aproximado da ação que você terá minimizado os riscos, criando um seguro igual fazemos com nossos carros. Se cair muito, exerça sua PUT e repita o processo.

Leitura recomendadaBolsa de Valores: Calls? Puts? Entenda o básico sobre operações com opções

Observando a economia dá pra ver que tudo o que podíamos esperar neste período era uma volatilidade intensa na bolsa de valores, algo ótimo para quem especula, seja com ações ou derivativos.

E se não quiser correr riscos na renda variável, por que não deixar de ostentar o carrão de luxo, que está sendo pago no boleto (o mesmo que enche de preocupações porque se você perder o emprego terá que ser devolvido para financeira) e usar esse dinheiro para aplicar em um título público indexado à inflação? Já que a curva de juros começa a dar sinais de um apontamento para baixo, que tal apostar num pré-fixado?

Seja qual for o seu perfil de investidor, sem ter uma boa dose de autoestima, a ponto de não se preocupar em andar num carro seminovo para alcançar mais rápido seus objetivos financeiros e de forma sustentável (que é o mais importante), e sem ter bons conhecimentos sobre como multiplicar seu dinheiro, seja no mercado financeiro, ou empreendendo em paralelo com seu emprego, será complicado esperar uma vida financeiramente melhor.

Resumo e conclusão

Já é hora de terminar essa reflexão. Então, voltando ao início e resumindo, se você quer um aumento de salário, siga esses passos:

  1. Pare de reclamar;
  2. Faça mais do que estão pedindo para você;
  3. Gaste menos do que você ganha (pare de querer impressionar os outros);
  4. Eduque-se financeiramente;
  5. Multiplique o dinheiro que sobrar no mercado financeiro ou fazendo negócios lucrativos (e honestos, por favor).

No fim, não importa se você ganha R$ 2.000,00 ou R$ 20.000,00. É a sua vontade, que é comandada pelos seus pensamentos e sua visão de mundo, que vai definir se você será uma pessoa mais rica ou mais pobre em termos financeiros.

E-book gratuito10 Atitudes para Transformar sua Vida Financeira

No fim, a responsabilidade será sua mesmo. Sempre! Então tome as rédeas da sua vida e vamos nessa, porque o tempo não para. Abraços, sucesso e até a próxima!

Giovanni Coutinho
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários