Inácio comenta: “Navarro, o fim de ano está chegando e ele me lembra das muitas promessas que fiz na virada de 2013 para 2014. Não cumpri nenhuma delas. Quero evitar o mesmo comportamento em 2015, até porque o ano parece que vai ser mais complicado. Como posso evitar tantas promessas sem resultados, especialmente na vida financeira? Obrigado”.

O brinde de Ano Novo é sempre muito especial. Diante da presença de muitos amigos e familiares, costumamos saudar a virada com entusiasmo, alegria e muita esperança. A contagem regressiva para a chegada do Ano Novo frequentemente vem acompanhada de champanhe e promessas de mudanças. Muitas promessas.

O que acontece depois? As promessas seguem sendo promessas e pouco realmente muda – a transformação desejada fica no campo dos sonhos. Há algo errado com o desejo de mudança? Não devemos ser tão esperançosos ao formular nossas propostas? Qual o problema? Com você, nenhum! Com as promessas, a subjetividade.

Quer resultados melhores em 2015? Seja mais específico!

Pense nos dois casos mais emblemáticos de promessas de Ano Novo: “Emagrecer” (e suas variantes “Comer melhor” e “Melhorar a saúde”) e “Gastar menos” (com suas variantes “Sair do vermelho”, “Economizar mais” e “Começar a Investir”). Dois desejos louváveis e muito importantes, mas totalmente vagos.

O que significa “Emagrecer”? E “Gastar menos”? Como você saberá que alcançou ou não estas promessas ao longo do ano? Você até pode perder peso e conseguir economizar algum dinheiro, mas será que tais conquistas serão suficientes para garantir que as promessas foram cumpridas? Essa subjetividade costuma desmotivar bastante.

Portanto, seja específico! Comece com um objetivo maior, mas tenha paciência de questioná-lo até encontrar metas menores associadas com a sua realização. Pense em atitudes e ações que você pode realizar diária, semanal e mensalmente, e que possam ser “ticadas” (fiz, não fiz).

“Emagrecer” é um desejo, mas “Sair para caminhar 45 minutos hoje” representa uma ação. “Gastar menos” é vago, enquanto “Economizar pelo menos R$ 50,00 por semana” deixa claro o caminho de seu esforço. Quanto mais objetivos específicos você definir, mais fácil será manter sua rotina cercada de motivação – você realizará metas mais rápido e poderá comemorá-las constantemente.

A Psicóloga Heidi Grant Halvorson oferece um passo a passo muito interessante para facilitar a realização de desejos e metas, confira:

  1. Escreva seu objetivo;
  2. Pergunte a si mesmo: “Como vou saber que já alcancei minha meta?”;
  3. Reescreva seu objetivo usando as respostas da pergunta do item anterior, agora sendo mais específico;
  4. Pense em dois aspectos positivos de alcançar seus objetivos e em dois obstáculos que estão em seu caminho e escreva-os;
  5. Começando com o primeiro aspecto positivo, redija algumas frases sobre como será vivenciá-lo. Depois, escreva um pouco sobre o primeiro obstáculo e sobre a razão de ser um problema. Repita o processo com segundo aspecto positivo e o segundo obstáculo.

Conclusão

O problema não está em desejar uma transformação aparentemente complexa e distante de sua atual realidade, afinal a busca por resultados melhores não é simples, nem tampouco fácil. O ponto é que costumamos focar em promessas e objetivos abstratos e subjetivos demais, e portanto difíceis de serem validados.

Ser mais específico com os objetivos pessoais, financeiros e familiares permitirá que você saiba exatamente o que deve fazer para realizá-los. Além disso, alcançar e celebrar as pequenas metas associadas ao desejo maior fará você manter-se motivado enquanto percorre a jornada.

O que você acha? A sugestão de ser mais específico com os objetivos faz sentido na busca por resultados melhores? Registre sua opinião no espaço de comentários abaixo. Obrigado e até a próxima.

Foto: “New year decoration,Closeup on 2015“, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários