vender-postImagine-se tendo e fazendo muito mais dinheiro do que é capaz de gastar. Seria bom demais, não é?

Então, nesse meu primeiro post a convite dos amigos do Dinheirama, resolvi falar sobre algo que se aprendido por você, certamente o(a) colocará no caminho da construção da sua riqueza.

Durante minha carreira como executivo em grandes empresas e agora como empreendedor de meus negócios (online e off-line) tanto no Brasil quanto nos EUA, pude perceber que a grande maioria das pessoas ricas que eu conhecia tinham uma habilidade em comum.

E não importava se estávamos passando por momentos de bonança ou por momentos de crise, essas pessoas sempre estavam com os bolsos cheios.

Quando entendi isso, passei a me dedicar a aprender os segredos dessa habilidade tão importante. “Do que ele está falando?”, você pergunta.

Estou falando da habilidade de vender. Isso mesmo. Vendas!

Pense comigo: O que seria da Apple se Wozniak (o gênio da computação) não tivesse ao seu lado um mestre das vendas como Steve Jobs? Nada aconteceria. Nada!

Aliás, sem um vendedor, nada acontece. Nesse contexto, não estou falando do vendedor de carros usados ou de eletrodomésticos que teimam em nos empurrar coisas que não queremos.

A minha maneira de enxergar o vendedor é como uma pessoa que consegue identificar necessidades em um grupo de pessoas e “casar” essas necessidades com os benefícios do produto que está vendendo.

Mas o dinheiro verdadeiro não está somente na venda em si, mas na venda de produtos/serviços próprios. Quando vendemos nossos próprios produtos/serviços, o dinheiro sempre aparece.

Sob essa visão, o vendedor é, também, um empreendedor.

E empreendedor é a pessoa que sabe identificar necessidades em um grupo de pessoas, criar produtos ou serviços para satisfazerem essas necessidades e, em seguida, entregar esses produtos/serviços a esse grupo em troca de lucro.

É como ir a um parque e identificar que há um grande grupo de pessoas com fome, montar um carrinho de hot-dog e depois sair gritando “Olha o hot-dog!” para vendê-los.

Se o trabalho de identificação das necessidades e o processo de vendas for bem executado, faltará salsicha para atender a todos.

Parece fácil, mas não é. Afinal de contas, vender não é tão simples. E não estou falando da parte técnica das vendas, mas sim de uma limitação interna que todas pessoas tem quando se trata de vender algo a alguém (ainda mais se for algo criado pela própria pessoa).

A limitação de que estou falando é o medo de rejeição. A maioria das pessoas não tem coragem de tentar vender algo e ouvir um “não” em suas caras. E isso as mantém presas num mundo de escassez e as impede de conquistarem riqueza.

Portanto, se você quiser realmente ganhar dinheiro e ser financeiramente livre, procure colocar de lado esse medo de rejeição e comece a observar o mundo sempre perguntando a si mesmo(a): “O que eu posso fazer ou criar para gerar Valor para esse grupo de pessoas?”

Assim, você estará dando o primeiro passo para começar a construção da sua riqueza e, claro, sua liberdade financeira.

Voltarei com mais frequência para abordarmos juntos temas ligados ao empreendedorismo e riqueza. Registre suas opiniões no espaço de comentários abaixo. Até a próxima.

Foto Shutterstock: Seller and buyer in the showroom

Rodrigo T. Antonangelo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários