Quero empreender! No que a crise pode me afetar?Ouvi a pergunta que dá nome ao artigo alguns dias atrás. Curiosamente, eu venho me fazendo essa mesma pergunta desde que a crise começou, em pleno processo de elaboração do negócio[bb] que estou montando. Não podemos simplesmente ignorar a crise e achar que ela é uma desculpa das instituições financeiras para se capitalizarem ou demitirem.

O lucro de muitas empresas caiu absurdamente – fazendo algumas até fecharam o ano com prejuízo -, milhares de trabalhadores (variando de executivos até operários) perderam seus empregos, a recessão já deu as caras em vários países e por ai vai. Diante desses fatos, você ainda acha que a crise é inventada? Por mais absurdo que pareça, esta é a opinião de muitos brasileiros.

“Não, não acho. Mas ainda assim quero arriscar, quero empreender!”
Ter consciência da crise é o primeiro passo para começar um negócio nesses tempos difíceis. O próximo passo é ter ciência das dificuldades que você vai encontrar e dos riscos que você vai correr. O artigo de hoje trata resumidamente destes temas e abre espaço para uma nova discussão.

Dificuldades que você pode encontrar
Concessão de crédito.
As demissões em massa, reduções na produção de produtos e outros cortes têm um único objetivo: capitalizar a empresa. Com os bancos e outras instituições financeiras não é diferente. Logo, conseguir crédito para abrir um negócio pode se tornar uma tarefa muito difícil e os juros podem ser exorbitantes.

Fantasma da recessão. Mesmo que o Brasil ainda não esteja em recessão, é notável que o brasileiro tem sido mais cauteloso ao gastar o seu dinheiro[bb]. Se você vai vender um produto ou serviço, pense bem nas estratégias que você vai utilizar para atrair o seu cliente, pois se elas não forem eficazes o suficiente você pode se dar muito mal.

Setores afetados. Com a crise, setores que antes costumavam ser um ótimo negócio hoje podem não ser mais um investimento tão bom. Ao mesmo passo, setores que antes costumavam ficar pra trás, hoje se mantém firmes e fortes perante a queda dos outros. Crises mexem com as prioridades das pessoas e empresas.

Se você quer criar um negócio no meio da crise, é de suma importância que você faça um estudo de mercado[bb] para saber como anda a aceitação do produto/serviço que você quer vender. Isso sem falar no plano de negócio, que deve reproduzir quais são seus objetivos, resultados propostos e estratégias. Fazer a escolha errada nos tempos de crise pode significar problemas graves no futuro.

Oportunidade na crise
A história nos mostra que as crises econômicas são momentos fabulosos para se investir na abertura de um novo negócio. Não em negócios de subsistência, aqueles que você abre apenas para colocar comida na sua mesa, mas sim negócios com idéias inovadoras, que podem fazer a diferença. Pense nisso, coloque a cabeça para pensar, detalhe seu plano de ação e bons negócios!

No próximo artigo, vou falar sobre como enxergar a crise como oportunidade e como podemos nos aproveitar desse momento. Até lá.

——
Bernardo Pina
, graduado no curso de Ciência da Computação pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), trabalha como consultor de tecnologia da informação. Fundador do blog Produzindo.net, tem como filosofia sempre aprender mais e retransmitir esse aprendizado.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários