Home Mercados Recuperação Judicial da OGX: tudo que você precisa saber

Recuperação Judicial da OGX: tudo que você precisa saber

por Osney Cola
0 comentário

Recuperação Judicial da OGX: tudo que você precisa saberVocê é um dos investidores da OGX, a petroleira de Eike Batista? Conhece alguém que investiu nas ações desta empresa e que passa por problemas em decorrência da queda no preço deste ativo? Que lições tirar deste episódio e, mais do que isso, como entender o que vai acontecer a seguir?

Hoje, eu e a Equipe Trader preparamos um material diferente. Não se trata de estudos técnicos, nem fundamentalistas e nem de uma aula operacional. Neste material falaremos sobre o emblemático pedido de Recuperação Judicial da OGX, a empresa âncora do Grupo EBX.

  • Quais são os valores envolvidos?
  • Quais os próximos passos?
  • Qual a taxa de sucesso das empresas que já pediram recuperação judicial?
  • Que resultados esperar desta operação, especialmente no que tange aos investidores?
  • Como o mercado avalia essa situação e como devemos interpretar o pedido e seus desdobramentos?

Com um pedido de aproximadamente R$ 11,2 bilhões, trata-se do maior processo já registrado na América Latina, sendo que a maior parte do valor esta nas mãos de credores estrangeiros.

Teremos alguns grandes marcos pela frente: em 60 dias a empresa deve apresentar o plano; após 180 dias se encerra o período de suspensão de cobrança e, em caso de aprovação do plano, ainda teremos dois anos de acompanhamento pela justiça.

O fato é que a OGX como conhecemos hoje não será a mesma ao final do processo. Para o bem ou para o mal.

Assista ao vídeo com mais detalhes sobre isso:

https://www.youtube.com/watch?v=6NFkxa4EmBw

Obrigado e até a próxima. Foto “Empty wallet”, Shutterstock.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.