Política, eis um tema bastante interessante para falarmos e que, por seu cunho polêmico, certamente traz à tona certas divergências. Este momento faz com que o tema seja comum a todos, e de certa forma cotidiano para nossos cidadãos.

Na realidade, a ideia deste texto é apresentar o momento vivido na política nacional, quais suas perspectivas e como aproveitar este momento para capturar as melhores oportunidades de investimento (clique aqui para baixar um eBook gratuito sobre isso), especialmente para investidores mais cautelosos e que visam o médio ou longo prazo, o que considero cerca de 5 anos.

Pelo que tenho acompanhado, lido, visto e conversado com aqueles que vivem este dia a dia na política, é bem complicada e complexa a situação da presidente Dilma Rousseff à frente da presidência da República.

Divergências ante congressistas, inclusive aliados, reforma ministerial em troca de apoio (quiçá até a saída do ministro da Fazenda e do presidente do BC) e reforma fiscal são temas que afligem o povo brasileiro, que viu o dólar disparar ao longo das últimas semanas em função dessa instabilidade vivida.

Some a esse cenário preocupações quanto à perda do grau de investimento pelas agências Fitch e Moodys, taxa de juros em patamares elevados, inflação insistente acima da meta do governo como um dos motes principais, indicadores de crescimento apontando para um aumento da recessão em 2015 e 2016, desemprego crescente, produção industrial e confiança do empresariado piorando a cada mês.

Enfim, um ambiente bastante complicado e conturbado especialmente do ponto de vista econômico.

Como investir diante de um cenário tão difícil?

Diante de todo cenário descrito e do momento de estresse vivido pelo mercado atual, minha recomendação para aqueles que investem ou pretendem entrar no mundo da renda fixa são os títulos do tesouro prefixados que vencem em 2021 e que já chegaram a apresentar taxas de quase 17% ao ano nestas últimas semanas.

As taxas praticadas no prefixado são bastante interessantes se levarmos em conta que a taxa de juros (Selic) está em 14,25% ano e com perspectivas de permanecer neste patamar por um período mais prolongado de tempo.

Outra boa sugestão e opção para o investidor conservador são os títulos Tesouro IPCA+ 2019, com taxas de ganho real de quase 8% ao ano. Você pode aprender mais sobre o Tesouro Direto e outros investimentos conservadores neste eBook gratuito que escrevi (clique aqui para download).

Quais as razões para estas recomendações?

Antes de colocar os principais cenários, quero salientar que os rendimentos mencionados neste texto certamente podem ser considerados um dos melhores do mundo em termos da relação risco-retorno, vide que o risco destes títulos é baixo e que apenas cerca de 2% da dívida pública federal está nas mãos de pessoas físicas que detêm os títulos do Tesouro Direto.

Dito isso, permita-me explicar porque acredito que o investimento mais conservador, ou seja, em títulos públicos, é o mais adequado neste momento. Três cenários possíveis estão à espreita, conforme veremos abaixo, mas em todos os eles o Tesouro Direto garantirá rentabilidades altas e com baixo risco:

  1. O impeachment (ou renúncia) da presidente Dilma poderia vir, mas há necessidade de uma base jurídica forte, o que ainda não existe no cenário atual. Até o exato momento, parece não haver uma vontade política para tal. Sendo assim, há expectativa de continuidade de instabilidade política, o que manterá o cenário da forma como está por um período incerto;
  2. A presidente Dilma permanece em seu cargo e anuncia ampla reforma ministerial, garantindo assim apoio para as reformas fiscais necessárias pelo menos até o final de 2016. Desta forma quais seriam as medidas anunciadas: mais impostos (menor popularidade) ou corte de gastos?
  3. Perdemos o grau de investimento e prosseguimos em um cenário de estresse como o atual, acompanhando a escalada do dólar e as preocupações quanto ao impacto na inflação proveniente dos produtos importados.

Sugiro, por fim, continuar acompanhando seja qual for o desfecho desse desenrolar político em que estamos (além obviamente do cenário externo de perspectiva de alta de juros nos EUA e desaceleração da economia da China), mas também aproveitar os elevados juros brasileiros investindo no Tesouro Direto (clique aqui para baixar meu eBook gratuito). Até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Protect from doubts”, Shutterstock.

Roberto Indech
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários