João Marcos comenta: “Navarro, aprendi com os textos do Dinheirama a importância da reserva financeira para emergências e a reserva para aposentadoria, assim, comecei a montar a minha, mas um amigo disse ser mais fácil colocar todo o dinheiro numa única aplicação. Isso é certo ou devo separar as coisas? Obrigado“.

Antes de opinar sobre reserva e aposentadoria, preciso esclarecer uma coisa: reserva financeira de emergência é diferente de planejamento financeiro para aposentadoria, que é diferente de investimentos para aumento de patrimônio.

Muitas pessoas, por pensarem ser mais prático ou mesmo por não ver relevância nestas diferenças, “misturam” tudo em uma única reserva e, à medida que as necessidades surgem, vão fazendo saques. Funciona? Sim. Pode melhorar? Com certeza!

O problema com essa maneira mais simples e “misturada” de gerenciar as finanças é que lá na frente, no caso da aposentadoria, há um risco de o objetivo financeiro não ser alcançado ou se mostrar insuficiente perante o desejo inicial.

Leitura recomendada: Aposentadoria já era! Agora é Nova Velhice

Para tornar nossa comunicação mais dinâmica, em vez de simplesmente escrever, vou utilizar dois vídeos que gravei com meu amigo Renato de Vuono sobre estes dois temas: reserva de emergência e aposentadoria.

No primeiro, logo abaixo, falamos sobre a aposentadoria e tratamos os seguintes temas:

  • Qual é o conceito de aposentadoria? É deixar de trabalhar ou não?
  • Há uma idade específica para eu me aposentar, uma vez que a expectativa de vida está aumentando?
  • A vida muda e isso requer ajustes no planejamento da aposentadoria;
  • A previdência do governo é sustentável no longo prazo ou preciso me preocupar com isso?
  • Devo comprar um produto de previdência privada de um banco ou montar minha própria previdência com outros produtos de investimento?
  • Vale à pena participar de planos de previdência privada corporativos, onde a empresa tem participação com depósitos regulares?

Confira:

Reserva de emergência

Neste outro vídeo, falamos sobre as reservas de emergência, onde tratamos:

  • Existe um “tamanho” ideal para a reserva financeira? 6 meses, 12 meses de salário ou mais?
  • Onde aplicar o dinheiro da reserva de emergência? A caderneta de poupança serve?
  • O papel importante dos seguros (de vida, de saúde, de invalidez e etc.).

Confira:

Gostou? Deixe seus comentários logo abaixo, pois assim poderemos enriquecer ainda o debate envolvendo o seu (nosso) futuro. Um abraço e até a próxima!

Foto “planing the future”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários