O volume de recursos que os investidores sacaram da poupança em julho, já descontadas as aplicações, foi de R$ 1,115 bilhão. Segundo dados do Banco Central (BC), a retirada foi a menor do ano até agora. E também é inferior aos R$ 2,453 bilhões que deixaram a caderneta em igual mês do ano passado.

Nos primeiros sete meses do ano, a fuga dos investimentos da caderneta de poupança chegou a R$ 43,721 bilhões. Foi o maior volume da série histórica do Banco Central iniciada em janeiro de 1995. Até então, os primeiros sete meses de 2015 eram responsáveis pelo pior resultado da aplicação. Com um volume de saques R$ 40,996 bilhões superior ao de depósitos. O aumento do total de retiradas líquidas no período, de um ano para o outro, foi de 6,6%.

Esse resultado do acumulado de janeiro a julho de 2016 é formado por depósitos de R$ 1,102 trilhão e retiradas de R$ 1,145 trilhão. O pior momento dos últimos 21 anos para a caderneta de poupança foi em janeiro deste ano. Naquele mês os saques líquidos foram de R$ 12,032 bilhões.

Cresce exportação de veículos

Com as vendas fracas de veículos no Brasil, as montadoras se voltam para o mercado externo para sustentar a produção local.

De janeiro a julho, foram exportadas 272,2 mil unidades, aumento de 20% em relação a igual período de 2015, segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

No mês passado, foram embarcados 45,55 mil veículos, alta de 61% em relação a julho. Já o crescimento nas exportações havia sido de 14,2%.

Ebook  gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

Impeachment de Dilma segue para plenário do Senado

A Comissão Especial do Impeachment no Senado aprovou, por 14 votos a 5, o relatório final a favor do afastamento definitivo da Presidente Dilma Rousseff, elaborado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB) na manhã desta quinta-feira (4).

O resultado já era esperado devido à configuração do colegiado. O parecer segue agora para apreciação do plenário do Senado, onde deve ser votado na próxima terça-feira (9). O julgamento da presidente está previsto para o fim de agosto.

Mercado Financeiro

O mercado financeiro aguarda com cautela as definições em torno do processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Dilma afirmou que defenderá apoio a consulta para novas eleições.

O Ibovespa, principal benchmark da Bolsa de Valores de São Paulo, opera as 12h00 em baixa de -0,022%, com 57.465. Enquanto o dólar caí – 0,13%, negociado a R$ 3,19.

Foto: Marcos Santos / USP Imagens / Fotos Públicas

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários