Home Empresas Rossi descobre ‘plano obscuro’ de Silvio Tini de Araújo

Rossi descobre ‘plano obscuro’ de Silvio Tini de Araújo

Bilionário teria influenciado membros do Conselho de Administração, enquanto comprava ações além de 25%, o que exigiria uma OPA

por Gustavo Kahil
3 min leitura

A Rossi Residencial (RSID3) disse nesta quarta-feira (10) que o investidor bilionário Silvio Tini de Araújo e outros fundos pressionaram alguns conselheiros para obter vantagens e destituir o presidente do Conselho, mostra um comunicado enviado ao mercado.

O caso teria ocorrido quando os diretores Marcelo Adilson Tavarone Torresi, Nicolas Aires de Paiva e Fábio Gallo Garcia, “recentemente, passado a agir em descumprimento de seus deveres fiduciários no intuito de favorecer um acionista específico em detrimento dos interesses da companhia”.

Segundo a Rossi, os diretores apresentaram uma ata da reunião do Conselho com “com declarações supostamente falsas”, o que ensejou a convocação de uma reunião do Conselho para o próximo dia 11, “para sem qualquer justificativa destituir o Presidente do Conselho de Administração, João Paulo Franco Rossi Cuppoloni , e ratificar documento que contêm grave erro”.

Nele, a Rossi faz referência a diversos fatos relativos à eleição dos conselheiros e às suas declarações ao mercado como supostos “conselheiros independentes”, tendo em vista que recentemente os Requeridos teriam supostamente violado seus deveres fiduciários ao tentar favorecer o acionista Silvio Tini de Araujo.

A empresa, que passa por uma recuperação judicial, abriu um pedido de instauração de arbitragem contra os conselheiros.

Decisões

A Rossi também informou que realizou uma reunião Extraordinária do Conselho de Administração nesta quarta-feira, quando apresentou a transcrição e gravações recebidas por e-mail pelo Presidente do Conselho de Administração de conversas mantidas entre a Diretoria da Companhia e os Conselheiros de Administração Nicolas Aires de Paiva, Marcelo Adilson Tavarone Torresi e Fabio Gallo Garcia.

Neles, os conselheiros admitem a sua dependência e a existência de pressões externas direcionando o sentido da manifestação de seus votos.

A empresa também revelou as evidências que comprovariam “a existência de acionista que, direta ou indiretamente,
tornou-se titular de ações em quantidade superior ao montante equivalente a 25% do capital social da Companhia e, a despeito disso, não comunicou o fato”.

A Rossi anunciou a convocação de uma AGE (Assembleia Geral dos Acionistas) para deliberação sobre a obrigação de Silvio Tini de Araujo, Bonsucex Holding S.A, Lagro do Brasil Participações Ltda., EWZ Investments LLC e EWZ Fundo de investimento em ações realizarem a oferta pública de aquisição (OPA) de ações na companhia.

A empresa também irá votar a destituição de Nicolas Aires de Paiva, Marcelo Adilson Tavarone Torresi e Fabio Gallo
Garcia de seus cargos enquanto membros do Conselho de Administração e de comitês do Conselho de Administração da Companhia pelo fato de terem violado seus deveres fiduciários.

Veja o documento da Rossi

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.