Home Economia e Política Rotativo do cartão de crédito deve ser extinto em 90 dias, promete Campos Neto

Rotativo do cartão de crédito deve ser extinto em 90 dias, promete Campos Neto

Ideia em elaboração reduzirá o juro anual do rotativo de 437% ao ano para 196%, que é o cobrado no parcelamento do cartão

por Reuters
0 comentário

A solução para o problema dos juros elevados e da inadimplência do cartão de crédito no Brasil deve passar pela extinção do crédito rotativo, disse nesta quinta-feira o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Em audiência pública no Senado, Campos Neto afirmou que, com esse desenho em elaboração, as faturas não pagas iriam direto para o sistema de crédito parcelado do cartão, com uma taxa mensal de juros que ficaria próxima a 9%.

A taxa de 9% ao mês corresponde a 181% ao ano. Hoje, os juros do rotativo estão em 437% ao ano, enquanto o parcelado do cartão está em 196% ao ano.

Veja a declaração:

Os bancos, incluindo Bradesco, Itaú Unibanco e Banco do Brasil, argumentam que os clientes não chegam a ficar um ano no rotativo pela própria legislação que obriga as instituições financeiras a ofertarem outras linhas de crédito para os clientes. O vice-presidente de gestão financeira do BB, Marco Geovanne da Silva, por exemplo, afirmou nesta quinta-feira que os clientes, em média, ficam 18 a 20 dias no rotativo antes de serem direcionados a outras linhas mais baratas.

O presidente do BC ressaltou que a solução, que será apresentada em até 90 dias, está sendo construída em diálogo com o deputado Elmar Nascimento (União-BA), relator do projeto de lei do Desenrola, programa de renegociação de dívidas das famílias.

Segundo Campos Neto, a medida ainda deve prever a criação de uma tarifa para desincentivar parcelamentos sem juros com cartão de crédito.

Segundo Campos Neto, a medida ainda deve prever a criação de uma tarifa para desincentivar parcelamentos sem juros com cartão de crédito (Imagem: Unsplash/ Emil Kalibradov)

“Não é proibir o parcelamento sem juros, é simplesmente tentar fazer com que ele fique um pouco mais disciplinado, fazer de uma forma bem faseada para não afetar o consumo”, afirmou, destacando que os cartões de crédito representam 40% do consumo no país.

Na apresentação, o presidente do BC disse que cartões de crédito são um “grande problema” no Brasil, após uma explosão nas emissões nos últimos anos.

A taxa de inadimplência no rotativo do cartão está atualmente em cerca de 49%. De acordo com Campos Neto, o patamar não tem paralelo no mundo.

Ele enfatizou que eventual alternativa de estabelecer um limite de juros para o cartão de crédito poderia ter efeito negativo e gerar uma retirada de circulação de cartões pelas instituições financeiras.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.