Por: Gustavo Chierighini, publisher da Plataforma Brasil Editorial.

Meus caros, em tempos crise, aperto financeiro e delações bombásticas, nada poderia ser mais prejudicial para o seu negócio, do que seguir um roteiro do desastre.

Uma rota para se evitar

Mas como a ideia aqui é fugirmos dos “lugares comuns do soft business”, no lugar de apresentarmos uma receita de bolo sobre o que fazer, optamos por expor uma rota perfeita para se evitar.

“O óbvio sempre é esquecido”.

Acredite você no que desejar, mas nunca se esqueça que alguns tropeços são atemporais, e mesmo muito óbvios, são facilmente observados nos desastres empresariais.

Entre sabotagens e tiros no joelho

Tratam-se de situações muito comuns que, se toleradas, podem assassinar no berço iniciativas fantásticas, inovadoras e muito viáveis.

O estabelecimento de metas impossíveis

Acredite. Eu, você, a sua e a minha equipe possuem limitações.

“Sim, é possível que sua equipe instalada num centro de startups não consiga habitar Marte neste ano. Que chato. Quem sabe no próximo”.

Para evitar que as metas e objetivos traçados não se transformem em peça de folclore (por conta do mais absoluto descrédito), estabeleça apenas aquilo que de fato possa ser realizado. Depois disso, faça as cobranças com rigor.

Podcast recomendado: DinheiramaCast – ouça e aprenda a cuidar melhor do seu dinheiro

A contratação de analfabetos funcionais

Sim eles existem, e eventualmente podem ser encontrados nas melhores escolas.

Algo como, um gestor financeiro não dominar as práticas da matemática financeira, desconhecer princípios contábeis ou ferramentas e modelos de gestão financeira. Fuja disto, sem piedade.

A institucionalização da desorganização

Não há nenhum problema em um ambiente de trabalho informal, arejado e livre dos rigores corporativos tradicionais.

Esses ambientes podem (vejam bem, podem, mas não garantem nada) propiciar um ambiente de trabalho mais produtivo.

Outra coisa é a informalidade ocasionar a perda de documentos e informações importantes ou a dificuldade para se localizar contratos.

Um escritório de contabilidade confuso

Equivale às doenças silenciosas e aparentemente indolores que atacam os seres humanos. É algo que vai corroendo, dia após dia.

Arrebenta com a tranquilidade fiscal , destrói os controles internos, e fragiliza o aparato administrativo financeiro até se transformar em uma batata quente onde ninguém vai querer por a mão.

A presença da autossabotagem

Mas a sabotagem pode acontecer antes, dentro de você mesmo, por meio de algumas percepções e conceitos furados. Aqui vão alguns deles, mas por favor, não façam isso em casa.

Autossabotagem 1

Ao fechar o primeiro grande contrato, assuma para você mesmo que de agora em diante tudo vai dar certo e passe a gastar por conta, tendo a certeza de que muitos outros virão.

Leitura recomendadaQuer atingir o sucesso nos negócios? Esqueça as modinhas!

Autossabotagem 2

Se você trabalhava em uma grande empresa como executivo, de forma alguma deixe de lado as comodidades de antigamente.

Jamais comece a sua pequena empresa sem uma boa secretária bilíngue. Jamais monte seu escritório em um endereço modesto com um pequeno espaço. E não esqueça de investir pesado na decoração.

Autossabotagem 3

Independentemente do porte do seu negócio ou mesmo da necessidade, trabalhe duro para adequar a sua cultura empresarial aos modismos de gestão da ocasião. Aplique tempo e dinheiro nisso.

Autossabotagem 4

Mantenha sempre um cego e exuberante otimismo, pois ser pragmático e cuidadoso representam comportamentos retrógrados e conservadores.

Não peca o seu tempo avaliando os riscos, e deixe de uma vez por todas os pensamentos negativos para trás.

Autossabotagem 5

Reaja com irritação, sempre que escutar um relato ou análise sobre determinado problema, que não coincida com a sua opinião.

Autossabotagem 6

Peça sugestões para pessoas mais experientes sobre os problemas da empresa. Porém, ao escutá-las, apoie apenas e exclusivamente aquelas que coincidam com suas ideias e concepções. Elimine esse papo de senso crítico.

Autossabotagem 7

Fortaleça e promova única e exclusivamente os colaboradores que lhe dirijam elogios, reconhecimento, aceitação e apoio como chefe/ líder.

Vídeo recomendadoEmpresa rica, dono pobre: o erro fatal de consumir antes de produzir

Autossabotagem 8

No trato com seus colaboradores e ao transmitir instruções ou orientações, não seja prático ou direto. Adote uma comunicação oblíqua, difusa, holística e rarefeita. Abandone para sempre o hábito da objetividade.

Autossabotagem 9

Combata as atitudes e posicionamentos dotados de personalidade e senso crítico, promovendo sempre o “senso comum” e as “frases de efeito”.

Autossabotagem 10

Não admita em nenhuma hipótese os erros que você mesmo cometeu. Isso pode enfraquecer a sua liderança.

Autossabotagem 11

Desaprove com vigor aqueles que assumem os seus próprios erros, por mais honestos que sejam. Afinal de contas a sua empresa nasceu para ser grande, e por isso mesmo é um lugar para profissionais perfeitos.

Conclusão

A lista poderia ser mais longa e de um humor ainda mais ácido, mas se conseguir evitar as situações que descrevemos, estará dando um decisivo passo para a prosperidade e solidez do seu negócio. Boa sorte!

Plataforma Brasil
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários