Pode ser que você esteja começando a ler esse artigo sem saber como vai pagar aquela conta que vence amanhã. Ou que esteja tão preocupado com as dívidas que não sabe o que fará para quitá-las. Vamos combinar uma coisa: agora é hora de acreditar que dará tudo certo, e que por mais que a dificuldade financeira seja grande no momento, sempre é tempo de dar um primeiro passo para organizar as contas, equilibrar o orçamento e construir um futuro financeiro melhor. Você está pronto para isso?

O primeiro ponto que gostaria de colocar aqui é que, em geral, todo desequilíbrio financeiro é reflexo de outros desequilíbrios que temos na vida. Com exceção, é claro, de circunstâncias emergênciais, como uma perda de emprego, um problema de saúde que exigiu gastos inesperados, e etc. Há questões temporárias relacionadas à perda financeira e questões que se repetem frequentemente, e estas são as mais complicadas, pois significam que algo está errado e muitas vezes a pessoa nem sabe o quê é.

Para quem passa por uma crise financeira devido a circunstâncias inesperadas, procure primeiramente acreditar que ela será temporária. Não há quem não passe por momentos complicados na vida, mas não se pode perder o foco e a fé de que tudo será resolvido, ainda que para isso você precise de alguma ajuda. Nós do Dinheirama estamos aqui para isso!

Para quem tem passado por uma crise financeira sabe-se lá desde quando, pois já faz parte da vida estar com o bolso no vermelho, saiba que é possível mudar esta situação, mas vai requerer esforço e organização de sua parte. Quer uma mudança efetiva? Então vamos lá!

O que você pode estar fazendo de errado?

Para fazer diferente, primeiramente precisamos entender o que está sendo feito de forma errada. Essa parte não costuma ser muito fácil, pois nem sempre estamos prontos para olhar o que temos feito com um olhar investigativo, com aquela lupa necessária, entende? Mas há algumas questões que podem ser levantadas para que você comece a pensar nas suas atitudes com relação a dinheiro nos últimos anos. São elas:

Você já fez um apontamento de despesas alguma vez na vida?  Ou seja, você já se preocupou em anotar, pelo menos por um mês inteiro, todos os pequenos e grandes gastos feitos? Se você ainda não fez isso, faça agora. Programe-se para a partir de hoje até os próximos 29 ou 30 dias anotar absolutamente todos os gastos: do pãozinho na padaria até a revista na banca de jornal. Provavelmente você vai se surpreender e entender o que anda consumindo a maior parte das suas receitas sem que você se dê conta!

Conhece bem seu orçamento mensal? – O apontamento de despesas vai ajudá-lo a entender mais detalhadamente gastos variáveis aos quais talvez você não esteja dando importância hoje. Mas é importante que você tenha ao menos um orçamento que mostre as receitas e despesas fixas no mês. Sem isso fica impossível organizar as contas e fazer cortes.

Costuma descontar frustrações em compras? – O quanto você costuma comprar quando se sente frustrado? É muito comum que compras sirvam como uma espécie de antídoto temporário para nossas tristezas, mas se isso estiver acontecendo frequentemente na sua vida, fique atento. Pode ser que você precise de algum tipo de ajuda profissional para dar um basta nisso.

Usa o cheque especial como parte da receita? – Muita gente acaba usando o limite do cartão, o crédito do banco, o cheque especial como uma espécie de receita extra mensal, o que é totalmente errado e causa danos enormes ao orçamento. É preciso adequar o padrão de vida à sua receita líquida mensal, e não viver na corda bamba acumulando dívidas só porque aquele dinheiro extra parece tão disponível. Pergunte-se se você realmente precisa de certas coisas ou é apenas uma questão de status.

Compra muito por impulso? – Comprar por impulso é um dos hábitos que mais detonam o orçamento. Se você volta e meia se vê em situações onde não consegue resistir às compras (e depois se arrepende), trate de começar a prestar mais atenção antes de chegar às vias de fato. E leia as muitas dicas que também colocamos frequentemente no Dinheirama a respeito disso.

Tem uma reserva de emergência? – Normalmente quem é equilibrado financeiramente constrói uma reserva de emergência exatamente para não ter que se desesperar em situações emergenciais como a perda de um emprego ou um gasto inesperado e urgente. Se até agora você não se preocupou com isso e está sentindo na pele a dificuldade por não ter guardado nada, então comece hoje mesmo a pensar diferente. Sabemos que esta situação é temporária (como tudo na vida),portanto, assim que o dinheiro voltar a entrar, comece a separar um percentual dele para fazer uma reserva, combinado?

Tem alguns sonhos bem definidos? – Finalmente, quais os sonhos que você estabeleceu para sua vida? Podem ser de curto, médio ou longo prazo, mas é importante que existam, pois são eles que devem motivá-lo a poupar e usar o dinheiro de forma mais organizada e sábia. Quem não sabe aonde quer chegar, vai para qualquer lugar. E quem não sabe onde pretende gastar, também vai gastar com qualquer coisa, entende? Estabeleça metas e prioridades e depois, quando a situação começar a melhorar, separe um percentual do orçamento (mesmo que pequeno) para realizá-las. Desta forma você estará começando a fazer a sua parte para lidar melhor com as finanças, tenha certeza!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários