Quem não pensa no futuro pode ter dificuldades até para cobrir os gastos básicos na velhice. Parece assustador, e é.

Para alcançar a aposentadoria com uma situação financeira confortável é preciso muito planejamento e disciplina. Já falei isso algumas vezes por aqui, mas por que não conseguimos colocar as teorias em prática?

Por que é difícil investir para o futuro?

Estudiosos explicam que este insucesso financeiro está diretamente ligado ao fato de as pessoas não conseguirem se conectar com o futuro e/ou não encontrarem uma motivação real para investir para o longuíssimo prazo.

Por isso, preocupados com as dificuldades que estes indivíduos terão na fase da aposentadoria, pesquisadores desenvolvem metodologias que estimulam o compromisso com os investimentos para o futuro.

Neste post vou comentar as principais razões que tornam a situação financeira na aposentadoria fundamental para manter o padrão de vida e apresentar uma metodologia muito interessante que possibilita a conexão com o futuro, contribuindo para aumentar a motivação para investir.

O brasileiro está vivendo mais

O relatório de Desenvolvimento Humano de 2014 da ONU, divulgado em julho deste ano, mostra que expectativa de vida atual do brasileiro é de 73,9 anos. Este número contrasta com o da década de 1980, quando era esperado que vivêssemos 62,7 anos. Assim, nos últimos 33 anos, a expectativa de vida do brasileiro cresceu 17,9%.

Diante da realidade de uma vida mais longa, necessitamos de mais recursos para arcar com o nosso custo de vida por um tempo maior do que nossos antepassados.

Planejando sua aposentadoria

A fim de ter dinheiro suficiente para uma aposentadoria confortável, é preciso fazer planejamento de longo prazo. Contudo, é difícil para o público geral estimar o quanto deve investir hoje para garantir um bom padrão de vida no futuro.

Apesar da abundância de informações disponível sobre o tema, os investidores ainda têm muitas dúvidas. Para auxiliá-los, existem aplicativos e sites que estimam quanto o investidor precisa aplicar mensalmente, de acordo com a sua idade, prazo para a aposentadoria e valor final desejado para cobrir suas despesas.

Porém, ainda que os investidores tenham consciência da importância de fazer aportes periódicos para conseguir manter o padrão de vida na aposentadoria e que estimem o valor aproximado de suas necessidades futuras, grande parte ainda não faz aplicações pensando no momento de se aposentar. Segundo estudiosos, isso acontece porque temos dificuldade de nos conectar com o futuro.

A dificuldade de pensar no futuro

Diversas pesquisas nos campos de Psicologia e Economia apontam que é realmente desafiante se planejar para o futuro e o principal obstáculo é que os indivíduos dão mais importância ao consumo imediato. O agora está sob controle, enquanto o futuro é incerto.

Em 1960, um professor da universidade de Stanford realizou um estudo com crianças que ficou conhecido como Teste do Marshmallow. Neste teste, era oferecido às crianças um marshmallow e informado a elas que se não o comessem durante os 15 minutos seguintes, elas ganhariam outro doce ao final deste tempo. Confira uma reprodução do teste:

Dois terços das crianças não conseguiram esperar o tempo estabelecido e comeram o doce, perdendo o direito à recompensa de 100%.

A conclusão deste estudo, de que a preferência temporal pelo presente também se manifesta em crianças, motivou uma série de outras pesquisas como as que buscam as origens desse comportamento e as que propõem maneiras de driblá-lo.

Planos de previdência e disciplina

A disposição para investir para uma vida futura mais confortável aumenta quando há uma intervenção externa.  Um exemplo claro é que funcionários que possuem planos de previdência patrocinados pelo empregador investem mais para a aposentadoria do que aqueles que não têm.

A intervenção contribui para manter a disciplina, uma vez que sem ela não chegamos a lugar algum.

O poder do hábito num plano para o futuro

Para que investir regularmente se torne hábito, é necessário haver uma deixa, uma rotina e uma recompensa. Esta é a estrutura do hábito, segundo o excelente livro “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg.

A deixa seria qualquer coisa que faça você executar uma ação e entrar no loop do hábito, como a intervenção do empregador. Mas se temos dificuldade de enxergar a recompensa uma vez que o futuro é algo distante para nós, a necessidade de poupar para o futuro não se concretiza e não criamos este hábito.

A materialização do futuro

Um estudo realizado em 2011 por um grupo de pesquisadores ligados à Kellog, escola de negócio da Universidade Northwestern (Chicago), encontrou evidências de que quando o investidor estabelece uma relação com seu futuro consegue realizar aportes periódicos de valores mais altos para a sua aposentadoria.

A pesquisa avaliou a disposição para investir para a aposentadoria num grupo de indivíduos expostos a duas situações.

Na primeira, o grupo era apenas questionado sobre sua disposição a poupar para a aposentadoria. Na segunda, a mesma pergunta era feita, mas depois que cada investidor visualizasse uma foto sua modificada por um software que envelhecia a pessoa.

O resultado do trabalho mostrou que o grupo que se viu daqui a alguns anos aumentou a disposição para investir para a aposentadoria, reforçando a tese de que as pessoas que materializam o futuro passam a poupar mais para a sua aposentadoria.

Se você tiver curiosidade de se confrontar com o seu eu do futuro e quem sabe se motivar a investir para a aposentadoria, há uma série de aplicativos online que promovem o envelhecimento de suas fotos. Experimente!

Conclusão

É importante que você comece a pensar hoje no seu futuro e se planeje para viver uma aposentadoria confortável. Idade, perfil de investir e quanto você tem hoje para investir são critérios importantes na hora de montar uma carteira de investimentos.

Para começar a materializar essa construção, convido-o a conhecer a ferramenta Portfolio Ideal, que sugere uma carteira de fundos de investimento baseada nesses três critérios que mencionei no parágrafo anterior.

Caso precise de ajuda para pensar em uma estratégia de investimentos com foco na aposentadoria, fique à vontade para enviar uma mensagem para mim através do canal “Fale com a Sandra”, no site da Órama. Será um prazer ajudar! Obrigada e até a próxima.

Nota: Esta coluna é mantida pela Órama, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Senior couple”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários