O futuro está logo ali! Essa afirmação nunca foi tão verdadeira quanto nos dias de hoje. O tempo passa cada vez mais rapidamente e, sem que nos demos conta, já estamos casados, com filhos, netos e por aí vai. Mas se você chegar à idade avançada sem recursos financeiros suficientes, vai ser mais difícil encarar essa fase com tranquilidade.

A ideia não é parar completamente de trabalhar, até porque a tendência é envelhecermos mais ativos (Leia mais no texto Aposentadoria Já Era! Agora é Nova Velhice). O mais importante é garantir a segurança na velhice, seja pra você, seja para sua família. Simples: caso você faleça, seus filhos terão amparo, por exemplo, do patrimônio deixado por meio de investimentos financeiros, imóveis ou seguro de vida.

A boa notícia nessa história é que a maioria dos brasileiros (66%) se preocupa com situações imprevisíveis, segundo pesquisa da Federação Nacional de Previdência Privada (Fenaprevi), entidade que representa 75 seguradoras de previdência complementar, divulgada nesta semana.

Conforme o levantamento, conduzido pelo Instituto Ipsos a partir de entrevistas com 1,5 mil pessoas, embora grande parte dos entrevistados revele se preocupar com imprevistos, somente 31% toma alguma iniciativa como precaução. A maior parcela, 66%, não adota nenhuma estratégia financeira para se proteger contra adversidades.

Do grupo de pessoas precavidas, 36% utilizam aplicações financeiras como instrumentos de proteção, enquanto 35% compram algum tipo de seguro (mas apenas 18% têm algum seguro pessoal contrato). A economia doméstica, com o dinheiro guardado, mas não aplicado, foi apontada por 29% dos entrevistados.

Os percentuais parecem baixos, porém mostram que a proteção diante de imprevistos está no radar dos brasileiros. O problema é quando a preocupação surge tarde demais. Aí não tem mais o que fazer, só resta tentar contornar a adversidade.

Quanto mais cedo, melhor! Funciona assim para o planejamento da aposentadoria. Você já sabe que irá se aposentar e que os custos costumam aumentar nessa fase da vida, principalmente com despesas médicas e com plano de saúde.

Se estiver preparado financeiramente, esses gastos a mais nem vão dar dor de cabeça. Mas se não houver dinheiro guardado, aquela preocupação nada saudável se tornará algo desagradável.

Então, se dá para evitar dor de cabeça no futuro, mão na massa! Estabeleça um plano de voo para a velhice, independentemente da sua idade. Revise-o sempre que possível. Encare o futuro como um amanhã que está bem pertinho, não como algo tão distante. Lá na frente você colherá os benefícios de ter pensado na velhice com antecedência. A definição de velhice deixo por sua conta… Até a próxima.

Foto “Getting older”, Shutterstock.

Danylo Martins
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários