Home Economia e Política Sobe para 39 total de mortes por chuvas no RS; autoridades esperam número ainda maior

Sobe para 39 total de mortes por chuvas no RS; autoridades esperam número ainda maior

Em setembro do ano passado, o Rio Grande do Sul também ficou debaixo d'água

por Reuters
0 comentário

As chuvas intensas que têm atingido o Rio Grande do Sul desde o início desta semana já deixaram ao menos 39 mortos e quase 70 desaparecidos, afetando mais da metade dos municípios do Estado, de acordo com balanço da Defesa Civil gaúcha, e as autoridades ainda aguardam a confirmação de mais mortes.

Segundo comunicado da Defesa Civil do Rio Grande do Sul divulgado no fim da tarde desta sexta-feira, o desastre climático no Estado também deixou mais de 24.000 pessoas desalojadas, em um total de mais de 350 mil afetados.

O órgão ainda relatou que as chuvas afetaram mais de metade dos 497 municípios gaúchos 265, alguns com ruas transformadas em verdadeiros rios, com diversas estradas e pontes destruídas.

“Esses números (de vítimas) podem mudar ainda substancialmente ao longo dos dias na medida em que a gente consiga acessar as localidades e consiga ter a identificação de outras vidas perdidas, e a gente lamenta cada uma delas”, disse o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), em entrevista coletiva.

O temporal também provocou deslizamentos de terra e o rompimento de parte da estrutura da barragem da usina de geração de energia 14 de Julho, na bacia do Rio Taquari-Antas, em Cotiporã, na Serra Gaúcha.

As autoridades também alertaram para o risco de rompimento de uma barragem da Represa de São Miguel, na cidade de Bento Gonçalves, e determinaram as saídas de pessoas que moram em áreas que podem ser afetadas.

Na capital Porto Alegre, a Defesa Civil alertou a população para a condição do Rio Guaíba, que recebeu expressivos volumes em razão das fortes chuvas e ultrapassou sua cota de inundação. Todos os acessos ao centro histórico da cidade foram bloqueados devido a alagamentos.

O governo gaúcho decretou estado de calamidade pública, com mais de 300 mil clientes de distribuidoras sem energia elétrica.

Cientistas disseram à Reuters que o Estado virou o exemplo do que as mudanças climáticas podem fazer com eventos já considerados extremos, mas que vêm atingindo proporções cada vez piores em um mundo que não consegue conter o avanço da temperatura global.

Em setembro do ano passado, o Rio Grande do Sul também ficou debaixo d’água, devido à passagem de um ciclone extratropical, em uma inundação que já era considerada histórica, com mais de 50 mortes registradas.

Em Muçum, no Rio Grande do Sul, população está empenhada nos trabalhos de limpeza e reconstrução
Em Muçum, no Rio Grande do Sul, população está empenhada nos trabalhos de limpeza e reconstrução

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou na quinta-feira para visitar locais atingidos e se reunir com o governador para uma reunião emergencial a fim de discutir os esforços para resgates e mitigação de danos causados pelas chuvas.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto nesta sexta-feira ao receber o primeiro ministro do Japão, Lula reiterou o compromisso do governo federal em colaborar com os trabalhos de resgate e reconstrução.

“Nós fomos com vários ministros, não só mostrar solidariedade, mas assumir o compromisso público de que o governo federal não deixará faltar nenhum apoio para que a gente possa recuperar os estragos que essa chuva está causando no Estado”, disse Lula.

“A única coisa que a gente não pode recuperar são as vidas que foram perdidas, mas também nós queremos transmitir daqui aos familiares a nossa solidariedade ao povo gaúcho, e voltar a afirmar para o governador do Estado que o governo brasileiro e seus 37 ministros estaremos à disposição para tentar ajudar o Estado do Rio Grande do Sul.”

Diante do isolamento de várias localidades gaúchas, o governo federal decidiu adiar em todo país o Concurso Público Nacional Unificado, que estava marcado para domingo.

Não foi definida ainda uma nova data para a prova, e o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta, disse em sua conta no X que um novo dia para a realização do chamado “Enem dos concursos” será definido após estudos do Ministério da Gestão.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.