Você com toda certeza já ouviu falar em Custo Brasil. De qualquer forma, é bom relembrar. De forma simples, é o custo que empresas (e consequentemente as pessoas) pagam por se estabelecer em terras tupiniquins.

Neste custo estão embutidas (algo que o brasileiro adora) muitas coisas, desde os surreais impostos até custos derivados da má condição de nossas estradas e da falta de segurança de nossas cidades. E quem paga a conta? Todos nós.

Na terra dos espertos, faturar alto por unidade é sempre visto como melhor do que faturar no volume e, consequentemente, menor custo unitário. Aliás, o melhor mesmo é conseguir um alto valor unitário e um alto volume, que é o que as empresas “milagrosamente” conseguem (ou conseguiam) fazer no Brasil. Isso tudo reflete a mentalidade do brasileiro.

O que quero dizer é: os empresários, políticos e as pessoas que estão no comando refletem apenas os seus comandados. Você já ouviu a expressão “cada povo tem o governo que merece”? Isso se aplica também a empresas e empresários. Cada povo (consumidor) tem as empresas que merece.

Então o Custo Brasil nada mais é do que o reflexo de uma sociedade distorcida e mal-educada, que permite que façam essa farra com seu dinheiro e nem ao menos pode participar da festa. Aliás, vive mal para que os outros façam festa e vivam bem.

Vivemos em meio à soma de todos os medos: as coisas custam caro e o dinheiro é muito mais difícil de se conquistar.

Leitura recomendadaCuidado: o seu poder de compra corre perigo!

O pior é que isso tudo mostra um problema muito mais grave de nossa sociedade: o individualismo exacerbado. Todos jogam apenas por si, o que faz com que as condições fiquem como são e não melhorem nunca.

Então, se você ouvir que nossos carros são caros por causa dos impostos, que viajar de avião é caro por causa dos impostos, que tudo o que tem de errado no país é culpa dos impostos, saiba que essa é apenas uma meia verdade.

Impostos viraram uma ótima desculpa para esconder o outro lado da moeda: as empresas vêm para o Brasil para faturar alto e vendendo produtos e serviços de qualidade inferior aos que vendem lá fora.

Os impostos são um problema? São um grande problema. Mas eles não estão sozinhos nessa. Há os outros componentes inerentes ao Custo Brasil, porém, nada tão significativo quanto a ganância.

Está em nossas mãos mudar. De qualquer sorte, o brasileiro prefere fazer a “parcela se encaixar no orçamento” do que simplesmente não comprar, e se isso não mudar, nada mudará.

A sociedade atual é vítima de seu próprio conformismo e não percebe que o verdadeiro poder está em suas mãos. Que tal fazer sua parte? Nos vemos no próximo texto. Até lá!

Leitura recomendadaOstentação e consumismo não combinam com felicidade

Foto “Change”, Shutterstock.

Renato De Vuono
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários