Já virou clichê falar sobre o apetite de Jorge Paulo Lemann e seus sócios do Fundo 3G Capital por ícones americanos. Depois de abocanhar a cervejaria Anheuser-Busch, o Burguer King e mais recentemente a Heinz, agora o grupo anuncia a aquisição da Kraft Foods, operação realizada juntamente com a Berkshire Hathaway, comandada pelo mega-investidor Warren Buffett, sócio também na aquisição da Heinz.

O objetivo, segundo os diretores da nova The Kraft Heinz Company, é “criar uma potência em alimentos e bebidas”. Com a plataforma global que a Heinz já possui, será mais fácil fazer com que os negócios da Kraft tornem-se globais.

O posicionamento da Heinz em grande parte do mundo permite à nova empresa a chance clara de se tornar referência mundial, oferecendo nos diversos países em que há presença da Heinz diversos produtos que até então eram exclusivos do consumidor norte-americano.

O também brasileiro Alexandre Behring, atual presidente do Conselho da Heinz e sócio fundador da 3G Capital, será presidente do Conselho da empresa combinada. Behring já foi membro de conselhos de empresas como B2W e GP Investments. O presidente-executivo da Kraft, John Cahill, será o vice-presidente do Conselho da nova empresa.

Sonho grande e que não acaba

A nova empresa terá receita esperada de 28 bilhões de dólares, menos da metade da receita da líder de mercado Pepsico em 2014, e oito marcas avaliadas em mais de 1 bilhão de dólares cada. A fusão das duas empresas irá propiciar redução de custos da ordem de  1,5 bilhão de dólares anuais até o final de 2017, de acordo com os representantes da agora Kraft Heinz.

No início do ano, jornais do mundo chegaram a anunciar que Jorge Paulo e seus sócios estavam de olho na própria Pepsico, enquanto outros afirmavam que o sonho grande se chama Coca-Cola, que tem entre seus principais acionistas nada mais nada menos do que Warren Buffett (que não cansa de elogiar a determinação e profissionalismo do grupo de brasileiros, já tendo-os chamado de “o melhor time de administradores do mundo”).

Jorge Paulo Lemann sem medo de arriscar?

No artigo 5 lições de Jorge Paulo Lemann para atingir o sucesso cito alguns pontos que considero fundamentais para o sucesso do homem mais rico do Brasil, talvez o mais marcante desses pontos seja a disposição em arriscar e sair da zona de conforto.

Você pode achar fácil para ele arriscar no atual cenário, sendo alguém já bilionário. Talvez você tenha razão, mas o fato é que nesse momento o mais importante para Jorge Paulo e seus sócios já não é mais a riqueza, e sim o legado, deixar uma marca de profissionalismo e competência na execução de ideias.

Mais do que isso, ele nos mostra que sonhar grande é uma missão de todos que desejam ir além da conformidade e da mediocridade. Para pessoas que pensam dessa forma, o maior risco é colocar em jogo sua credibilidade e seu nome; quando decidem arriscar uma nova jogada como essa, é muito mais do que dinheiro que está em jogo. Que possamos aprender com esse pessoal. Até a próxima.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários