Home Empresas STF marca conciliação sobre mina da Vale paralisada no Pará

STF marca conciliação sobre mina da Vale paralisada no Pará

A produção de níquel de Onça Puma respondeu por cerca de 10% do total produzido pela Vale desse minério no ano passado

por Reuters
0 comentário

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, marcou para o próximo dia 27 uma audiência de conciliação na tentativa de resolver o impasse em relação à retomada da operação da mina de Onça Puma da Vale (VALE3), no Pará, suspensa no início do mês passado por decisão do Tribunal de Justiça do Estado.

A decisão de Barroso atende a pedido apresentado pela Vale e pela Mineração Onça Puma.

“Diante da complexidade da matéria discutida e das possíveis consequências da suspensão da tutela provisória, determino o encaminhamento do feito, com urgência, ao Núcleo de Solução Consensual de Conflitos (NUSOL), para a realização de audiência de conciliação no dia 27 de maio de 2024, às 14h (horário de Brasília)”, determinou o presidente do STF.

Em petição na sexta ao STF, as duas empresas haviam argumentado que a situação poderia provocar um “caos social de uma tragédia anunciada”.

Elas citaram manifestação de sindicatos locais de que “os impactos dessa medida precipitada afetam não apenas os trabalhadores, mas também todo o comércio e a arrecadação dos municípios, que dependem da mineração como sua principal fonte de sustento”.

A produção de níquel de Onça Puma respondeu por cerca de 10% do total produzido pela Vale desse minério no ano passado.

O TJ paraense suspendeu no início de abril uma liminar obtida pela Vale que autorizava o funcionamento da mina de níquel, depois de uma primeira suspensão da operação determinada pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Pará (Semas) em fevereiro, devido ao suposto descumprimento de ações de mitigação de impactos decorrentes das atividades de mineração.

Então, tanto a Vale e a Mineração Onça Puma S.A. quanto o município de Ourilândia do Norte haviam recorrido ao Supremo para tentar derrubar a decisão do tribunal estadual e liberar o empreendimento.

No início deste mês, o procurador-geral da República, Paulo Gonet Branco disse que o Supremo não deveria julgar a retomada do operação da mina porque tanto as empresas quanto o município não teriam legitimidade para acionar o STF nesse tipo de caso.

Procurada, a Semas não respondeu de imediato a pedido de comentário.

A produção de níquel de Onça Puma respondeu por cerca de 10% do total produzido pela Vale desse minério no ano passado.

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.