“Por que eu não sou rico?”. Pessoas vivem se perguntando isso a todo momento. Como podem não ser ricas se trabalham todos os dias, tem boa formação profissional e acadêmica e ainda têm um salário considerado alto?

Grande parte das pessoas que tem esse pensamento está olhando para o dinheiro da forma errada. O raciocínio não pode ser esse; a riqueza não é simplesmente quanto você ganha ou algo determinado pela sua formação. O que determina a riqueza é o que você faz com seu dinheiro, independente de quanto você ganha por mês.

Gastar seu alto salário com carros e casas de luxo não lhe trará riqueza, mas um alto padrão de vida. O problema é que esse alto padrão de vida só tende a fazer você querer sempre mais. O que acontecerá quando seu salário não for suficiente para bancar seu custo de vida, devido a esse padrão elevado?

Aqui estamos diante de uma importante lição das finanças pessoais, bastante óbvia: um alto padrão de vida implica um alto custo de vida. Esse modo de viver costuma afetar quem tem salários mais altos e é bastante perigoso.

Você deve ligar o conceito de riqueza ao acúmulo financeiro para desfrutar de qualidade de vida, liberdade e realização pessoal. Esse pode ser o pensamento que mudará a sua vida.

Que tipo de vida você leva?

É comprovado que grande parte das pessoas nos dias atuais quer ter um padrão de vida elevado, cercado de luxo, viver bem, não se preocupar com trabalho (ou até se preocupar, mas o mínimo possível), ter um salário que banque todos as suas necessidades e desejos e por ai vai. Seria a vida perfeita, mas ela não está à disposição de todos.

Entretanto, existem, além dessa primeira forma de viver, mais duas formas que vou simplificar em dois conceitos:

  • Estagnado: Você trabalha, recebe e não gasta nada. Não tem um padrão elevado de vida, mas também não gasta nada, vivendo apenas com despesas básicas. Talvez até use como investimento a caderneta de poupança, pelo baixo risco, porém, mais baixo ainda será seu retorno. Quase nada se considerarmos a inflação atual;
  • Empreendedor: Você cria oportunidades e foca na liberdade e qualidade de vida. Busca a realização pessoal. Os mesmos que tem aquele conceito furado de riqueza do começo do artigo podem pensar: “Mas investir, ser empreendedor é para os ricos e grandes investidores!”. Ledo engano. Empreender é para os inteligentes, com visão, estratégia e que buscam algo a mais na vida, independente da sua renda.

Fatores determinantes do sucesso financeiro

As pessoas não ficam ricas do nada, da noite para o dia. Poucas ficam ricas por heranças. Vamos entender, a partir de agora, os fatores determinantes para o sucesso financeiro e como esses fatores podem ajudar você a acumular riqueza.

1. Economizar parte da receita

O primeiro e grande passo, antes de qualquer coisa mais complexa, é passar a economizar parte da sua renda. Se você está envolvido com dívidas, ache uma maneira, através de um planejamento financeiro, de quitá-las. A partir daí, passe a gastar só com o que realmente for necessário.

Tenho certeza que os grandes milionários de hoje, aqueles que conseguem manter um altíssimo padrão de vida, nunca desperdiçaram seu dinheiro ou se fizeram dívidas desnecessárias e caras no início de sua trajetória.

Tudo isso porque essas pessoas eram econômicas e não esbanjavam; muito pelo contrário, tinham tudo planejado e o pouco que ganhavam no começo de suas carreiras promissoras era poupado para, no futuro, passar a gerar ainda mais renda.

Portanto, busque baixar o máximo seu custo de vida e não esteja sempre no limite de sua renda. Economize parte de suas receitas para, num futuro próximo, fazer investimentos.

2. Buscar e investir em ativos rentáveis

Após praticar o primeiro passo e criar a consciência e a percepção de que a economia é onde tudo deve começar, faça uma análise objetiva sobre o destino da poupança realizada. Você certamente já percebeu que a renda economizada deve ser investida.

Aparece agora o que eu chamo de ativos rentáveis, que são, nada mais, nada a menos do que bens capazes de gerar ainda mais renda a partir do seu patrimônio, sem que você tenha que aumentar o tempo de trabalho ou esforço.

Ao contrário da compra de bens para manter um alto padrão de vida (alto custo de vida), prefira investir em bens que vão gerar mais renda. A lógica é simples: você terá um fluxo de caixa mais folgado, poderá reinvestir e garantir a sonhada independência financeira.

Ativos rentáveis podem ser imóveis, fundos de investimento, investimentos em ações ou ainda fundos de investimento imobiliário e abertura de negócios em sociedade. O investimento em você também vale, afinal você poderá elevar seus ganhos através do seu trabalho como profissional liberal, assalariado ou empreendedor.

A questão é fazer com que seu dinheiro trabalhe para seus objetivos tanto quanto você.

3. Trabalhar muito, mas com inteligência

Uma coisa é fato: os ricos adoram trabalhar! Eu, particularmente, conheço alguns no ramo da indústria e agricultura que são muito bem sucedidos financeiramente.

Eu me perguntava antes: mas por que esses caras trabalham desse jeito? Um não saía da empresa, do escritório, se a empresa dele reduzia as vendas em 0,001%, o cara quase enlouquecia. O outro, no ramo da agricultura, vivia na lavoura com sua caminhonete, sempre sujos de barro e de pé desde as 5h da manhã.

Eles conhecem o dinheiro, são ricos e sabem do sacrifício vivido para conseguir acumular toda aquela riqueza. Mas trabalhar tanto e manter o envolvimento não parece um dilema ou uma situação embaraçosa, é simplesmente natural e necessário. Faz parte.

É óbvio que se eles não trabalharem tanto, não vão perder tudo que conquistaram. Mas eles tomaram gosto pelo desafio e pela própria história e vem o trabalho com satisfação e como parte de um ciclo.

Conclusão

Acho que o principal depois de observar os fatores determinantes do sucesso financeiro é garantir que você está com o foco bem ajustado. Você trabalha no que gosta e não tem problema em se dedicar muito à atividade que realiza? Ela o satisfaz?

A partir daí, economize, invista, siga o caminho das pessoas bem-sucedidas e nunca deixe de procurar maneiras de aprender mais, evoluir e investir melhor. Nunca deixe os hábitos saudáveis da educação financeira de lado. Eles são a base para o sucesso e o acúmulo financeiro com vistas para a realização pessoal e qualidade de vida.

Espero tê-lo provocado, no bom sentido, a assumir mais riscos diante da própria vida, mas ao mesmo tempo aproveitá-la de forma mais inteligente. Registre sua opinião no espaço de comentários. Obrigado e até a próxima. Sucesso!

Foto “Grab Money”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários