As pessoas costumam se apoiar em decisões e crenças totalmente equivocadas quando o assunto é sua saúde financeira. Ter dinheiro sobrando no final do mês é a meta de muita gente, não importando o nível social ou salário. Poupar é a palavra de ordem e isso em 90% dos casos significa colocar o dinheirinho que sobra na Caderneta de Poupança ou debaixo do colchão. Poxa, qual o problema nisso Navarro? Nenhum problema. A minha intenção é mesmo provocá-los.

Quanto do seu salário, em termos percentuais, você “poupa” todo mês? Costuma fazer compras no crediário? Acredita nas famosas prestações sem juros do tipo “R$ 500 à vista ou 10 X R$ 50,00”? Existe juro zero? Quanto desperdiça com impostos e taxas que você nem sequer sabe o nome ou quando são aplicadas em suas negociações? Já ouviu falar em Ações, Bolsa de Valores?

São poucas e simples perguntas, você há de concordar. Mas são perguntas tão simples que a maioria das pessoas não consegue responder ou simplesmente ignora, achando que sou um dos tais banqueiros que só quer roubá-las. E não percebem que joga o dinheiro no ralo dos banqueiros são elas mesmas. Aceitar ou não as regras de cada instituição, investimento ou compra é uma decisão sua. E como eu sempre disse, nosso maior poder é a capacidade de escolher, seguido do conhecimento.


Como evitar essas armadilhas? Como multiplicar seu dinheiro e garantir a realização de seus objetivos e sonhos? Como ficar milionário? Pode ser mais fácil do que você imagina e os ingredientes são tão básicos que até assustam: conhecimento e atitude. Se você prefere acreditar que as pessoas só querem continuar te roubando e que é melhor trabalhar e viver como está hoje, pode voltar para o passeio na internet. Se acredita que você pode fazer alguma coisa (aliás, muita coisa) para tomar as rédeas de sua vida financeira, seja bem vindo.

Vou falar sobre juros, investimentos, dicas de economia diária, continhas básicas, atitude. Mas vou falar principalmente do respeito pelo seu dinheiro. Vou deixar um pequeno cálculo abaixo, vamos ver se chama atenção. É o milagre dos juros compostos, que merece um post separado que prepararei com mais calma.

Suponha que você consiga quardar R$ 500,00 todo mês e aplique este dinheiro na Caderneta de Poupança. Vamos assumir que a poupança renda 8% por ano* e então estamos falando de uma média de 0,67 ao mês. Em 10 anos você terá R$ 91.677,42. É importante lembrar que este é o rendimento bruto (nominal) e não o real, que desconta a inflação. Que tal? É um bom dinheiro não? Deste montante, R$ 31.677,42 são de juros (rendimento), ou seja, quase R$ 32 mil que “brotaram” em sua Caderneta de Poupança. E ai? Vai embarcar nessa ou não?

*Este rendimento é apenas para ilustrar o exemplo. Algumas modificações no cálculo da TR podem fazer com que este percentual caia. Mas isso é assunto pra outro post.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários