Se você tem planos para o futuro, como uma aposentadoria digna, a compra de um imóvel ou veículo, o Tesouro Direto é indicado para você. Se você tem aquele dinheiro guardado (parado) na poupança, não sabe quando vai precisar usá-lo e quer uma rentabilidade mais atrativa através de um investimento seguro, o Tesouro Direto também é indicado para você.

Hoje, o Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro do país, já que trata-se de investir em títulos garantidos pelo Governo Federal. Além disso, o Tesouro Direto também é muito acessível – com R$ 80,00 você pode iniciar seus investimentos e ainda optar pelos títulos de curto, médio e longo prazo.

Tesouro Direto para o longo prazo

Para investimentos de longo prazo, como aposentadoria, poupança dos filhos ou outros objetivos a serem realizados em no mínimo 4 anos, você pode optar pela NTN-B, título público que paga uma taxa fixa que hoje está em torno de 6% e mais a variação da inflação do período (IPCA).

Esse é o título mais recomendado e mais comum entre os investidores porque como no longo prazo a nossa inflação pode ser alta (trata-se de algo muito difícil de estimar), ela pode corroer seus rendimentos. Por isso, quando se pensa em longo prazo, você deve procurar aplicações que ofereçam proteção conta inflação. É isso que faz a NTN-B, que garante pelo menos inflação (IPCA) mais uma taxa de juros.

Existem 2 tipos de NTN-B: a NTN-B pura e NTN-B Principal; A diferença é que a pura paga adiantamentos de juros semestralmente e a outra não, isto é, paga tudo no vencimento. Se você tem interesse em receber esses adiantamentos, você pode optar pela pura, caso contrário a outra é melhor, pois o Imposto de Renda acaba sendo menor e os valores que você receberia nesses juros são reaplicados.

Tesouro Direto para o médio prazo

Agora se você está pensando para médio prazo, como por exemplo dar entrada em um imóvel daqui 2 ou 3 anos, a mais indicada é a LTN, título público prefixado que está pagando uma taxa fixa em torno de 12,5% ao ano. Este título acaba sendo o melhor para esse prazo porque sempre vai valer R$ 1.000,00 no vencimento e fica mais fácil de planejar algo.

Tesouro Direto para o curto prazo

Se você vai precisar do dinheiro no curto prazo ou ainda não tem uma data definida, deve escolher a LFT, título pós-fixado que paga a variação da Selic (hoje está em 11,25%). É o mais conservador e o único que você pode vender antes do vencimento sem perder dinheiro.

Você sempre receberá a variação da Selic pelo tempo que ficar com o investimento e não há a questão de variação no preço dos títulos na hora da venda. Lembrando que o Tesouro Nacional garante a liquidez dos títulos todas as quartas-feiras, isso significa que você pode vender todas as quartas e no dia seguinte o dinheiro estará disponível em sua conta para sacar.

Com este primeiro especial de quatro artigos sobre Tesouro Direto, acredito que tenha te ajudado um pouco a entender qual título é mais recomendado para cada perfil e as razões para investirmos em títulos públicos. Se quiser reler os primeiros textos publicados, compartilho os links abaixo:

Ainda tem dúvidas? Fale comigo!

Se mesmo depois de ler e pesquisar sobre Tesouro Direto, você ainda tiver dúvidas, entre em contato direto comigo por e-mail – [email protected] – e farei o possível para ajudá-lo. Obrigada e até a próxima.

Nota: Esta coluna é mantida pela Rico.com.vc, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “Happy investor”, Shutterstock.

Caroline Guedes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários