Home Agronegócio Timbro projeta exportar 40% mais açúcar em 2024 e inicia negócios com etanol

Timbro projeta exportar 40% mais açúcar em 2024 e inicia negócios com etanol

No ano passado, a área de açúcar foi responsável por cerca de 4 bilhões de reais de faturamento, versus 12,5 bilhões de reais de todos os negócios da empresa

por Reuters
0 comentário

A Timbro, plataforma brasileira de comércio internacional, prevê aumentar em mais de 40% suas exportações de açúcar em 2024 para 2 milhões de toneladas, à medida que mantém o forte crescimento neste mercado visto nos últimos anos e amplia sua atuação para a comercialização de etanol, disse um executivo da companhia à Reuters.

Considerada a maior trading de açúcar do Brasil com capital nacional, sem considerar as empresas que contam com ativos de produção, a Timbro exportou 1,4 milhão de toneladas de açúcar em 2023, alta de 75% ante 2022.

APRENDA COMO MULTIPLICAR E PROTEGER SEU CAPITAL INVESTIDO POR MEIO DAS CRIPTOMOEDAS E ACELERE A SUA JORNADA RUMO À LIBERDADE FINANCEIRA

Com 13 anos de atuação, a companhia fundada por Jorge Guinle e Bruno Russo já origina açúcar junto a cerca de 35 usinas do Brasil, incluindo dos maiores grupos do país, e projeta comercializar 50 milhões de litros de etanol no primeiro ano de operação com o biocombustível.

“O etanol acaba sendo uma forma para a gente ser mais flexível com as usinas, para mitigação de risco do negócio. Se ela não entregar açúcar, ela pode entregar etanol”, explicou o diretor de açúcar e etanol da Timbro, Pietro Constantino, destacando que esta flexibilidade na prestação de serviços é um dos diferenciais da companhia.

Na negociação de açúcar, a Timbro passou de uma exportação de cerca de 50 mil toneladas ao ano, em 2018, quando Constantino chegou para reestruturar a mesa da commodity na empresa, para mais de 1 milhão no ano passado.

Açúcar
(Imagem: freepik/@ v.ivash)

“A ideia é ser uma plataforma de soluções para as usinas, a usina vai poder me vender ATR (Açúcar Total Recuperável), o produto que ela preferir lá na frente (açúcar ou etanol) com base no que fizer mais sentido”, disse o executivo, que já passou por empresas como a Adecoagro e a Sucden.

No ano passado, a área de açúcar foi responsável por cerca de 4 bilhões de reais de faturamento, versus 12,5 bilhões de reais de todos os negócios da empresa.

A Timbro atua também na importação de produtos variados –de aeronaves executivas, aço até produtos lácteos –, além da exportação de ferro gusa e minérios de manganês e de ferro.

“Este ano, devemos alcançar 6 bilhões de reais de faturamento entre açúcar e etanol”, ressaltou.

A Timbro projeta se tornar também um player relevante no mercado de etanol, de olho no crescimento do consumo da Índia, que tem ampliado a mistura do produto na gasolina, e nas oportunidades geradas pelo SAF (combustível sustentável de aviação), que pode ser fabricado a partir do biocombustível.

“O SAF é um caminho que deve se fortalecer, vejo o Brasil como grande supridor desse mercado no médio e longo prazos.”

A entrada da plataforma no mercado de etanol aconteceu após a companhia receber a autorização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Dos 380 funcionários da empresa, 40 devem trabalhar focados em açúcar e etanol.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.