Orçamento - Gasto desnecessárioCerta vez aprendi que não há nenhum orçamento onde uma das despesas não possa ser estudada e ter seu valor reduzido. Sempre há algum ralo, ainda que minúsculo, capaz de fazer toda a diferença no final do mês, do ano, da vida. Mas admito, isso gera uma polêmica danada. Já recebi muitos e-mails dizendo que a minha matemática é mágica e que tudo que eu proponho é parte de um universo de ficção, não sendo capaz de ser alcançado pela grande maioria dos brasileiros. É verdade, eu sou um mago e meu público alvo são só os que acreditam em mágica. É verdade, muitos brasileiros não podem alcançar este conhecimento. Ora, então aproveite para também disseminá-lo. Isso sim é mágico.

Vejo muita gente reclamando que “o salário não sobra” no final do mês. O que será que elas querem dizer com isso? Será que elas gastam demais e o dinheiro simplesmente evapora? Ou será que elas ganham pouco, juram que vivem no limite e implicam com os gastos que sempre são maiores que suas receitas? Ou será que comprometem o salário antes de recebê-lo e portanto ele não “sobra”? Posso passar o dia escrevendo desculpas para a falta de dinheiro, mas estarei (se não já não estou) sendo repetitivo. O fato é que, salvo raras e inesperadas exceções, a culpa para a falta de dinheiro é nossa e só nossa.

Todos os especialistas, escritores e consultores de finanças falam sobre as despesas que roubam muito dinheiro. Sendo este meu meio de comunicação, tratarei de manter vivo o costume. Nesta altura do campeonato, você já deve ter um orçamento detalhado, controlado e capaz de fornecer informações importantes sobre seu futuro. Ele já deve conter suas despesas fixas, variáveis e seus investimentos, certo? Ótimo. Ainda assim, pergunto: será que ainda tem algum dinheiro indo para o “ralo”? Qual o tamanho deste “ralo”?

Vou usar a planilha de juros compostos, tomando como base um rendimento real de 0,4% ao mês, para demonstrar um exemplo de renda desperdiçada capaz de se transformar num grande sonho. Por que 0,4%? Imaginei um portfólio ou investimento com rendimento próximo de 9% ao ano, que descontando a inflação (4%), chega próximo de um taxa real de 5% ao ano. É um investimento de baixo risco, rende pouco, é fácil de adquirir e por isso preferi assim. Uma Renda Fixa, DI, um Multimercado, uma mistura de vários produtos? Pode ser. Vamos logo às economias.

Você fuma? Eu não gosto de cigarro, mas não posso ser radical. Que tal se você fumasse 50% ou 60% menos? “Ah Navarro, cigarro não funciona assim não”. É mesmo? Bom, seu bolso funciona assim. Vamos imaginar que um maço custe R$ 2,50. Você está gastando em média R$ 75,00 por mês para fumar. Vamos cortar parte deste gasto e economizar R$ 40,00.

Você gosta de falar ao telefone?
Talvez você não, mas seus filhos adoram. Telefone é algo que precisa ser controlado e seu uso deve ser comedido. Ter telefone é fácil, pagar a conta não. Vamos assumir que você seja capaz de economizar outros R$ 40,00 com o telefone.

Você gosta de almoçar ou jantar fora? Claro né? Eu também adoro! Isso encarece seu dia-a-dia. Se você possui vale-refeição fornecido pela empresa, esse pode ser um ótimo hábito, mas não é disso que estou falando. Diminua a frequência com que visita bares e restaurantes mais caros. Digamos que você consiga deixar de sair uma vez por mês e economize R$ 70,00.

Você gosta de banhos demorados? E de deixar as luzes todas acesas? Este item já é manjado, portanto vou me preocupar apenas com o montante que você pode economizar. Acho que R$ 30,00 são suficientes para o nosso exemplo.

Você gosta de fazer compras? E de sair com os filhos para passear no Shopping? Outro item manjado, eu sei. E acredite, este é um dos maiores ralos, especialmente quando se trata de uma família de classe média. Pare de comprar tudo que os pimpolhos pedem e reserve alguns dias do mês para programas mais baratos, saudáveis e menos consumistas. Economize R$ 100,00 por mês.

São muitas as possíveis causas para o “ralo”. Neste pequeno exemplo, você economizou R$ 280,00 por mês. Sei que você pode economizar mais e sei que você sabe disso. Que tal colocar a calculadora para funcionar? Usando o rendimento de 0,4% ao mês, cheguei aos seguintes resultados:

  • Em 5 anos, você terá R$ 18.944,85;
  • Em 10 anos, você terá R$ 43.016,95;
  • Em 15 anos, você terá R$ 73.603,94;
  • Em 20 anos, você terá R$ 112.469,01;

A conclusão óbvia é a de que devemos dar atenção aos pequenos gastos e tratar de evitá-los, sempre que possível. E a economia deve ser imediamente poupada e investida. Não há como ser mais simples e objetivo. Todo mundo sabe, mas pouca gente leva a sério. Por que será? Preguiça? Comodidade? Falta de inteligência financeira? Será que não vale a pena dedicar um pouquinho de disciplina e força de vontade à essas tarefas? Digam-me vocês!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários