Olá amigo leitor, tudo bem? Chegamos a mais um Top 3 Dinheirama. Como você já sabe, todo início de semana, publicamos uma seleção com o resumo dos três artigos mais lidos, comentados e compartilhados da semana anterior.

A ideia é lhe oferecer um panorama das preferências de outros leitores do Dinheirama e reunir os artigos de forma a oferecer um começo de semana mais proveitoso.

Os artigos mais lidos na semana passada foram:

Dinheiro e mimo no lugar de atenção? Cuidado com as consequências do que ensina às crianças!

Como era a relação com seus pais? Eles eram presentes? Ausentes? Costumavam compensar a ausência com mimos ou dinheiro? Eram rígidos demais com relação a finanças e recompensas ou o contrário? Conversei recentemente com a Heloisa Capelas, especialista em desenvolvimento do potencial humano, e desta conversa devem surgir muitos textos inspiradores. Ela me contou sobre a metodologia Hoffman, da qual é a maior especialista no Brasil, e a qual considera a infância e o chamado “amor negativo” como peças-chaves de toda uma série de coisas que acontecem em nossas vidas como adultos. Inclusive quando falamos de questões financeiras.

O que acontece, de acordo com esta metodologia, é que da concepção aos 12 anos de idade, tudo que ocorreu na infância nos ajuda a construir quem somos, algo confirmado pela neurosciência hoje. Além disso, a metodologia considera que temos um potencial amoroso infinito, que gera felicidade, mas muitas vezes ele não é utilizado. Neste caso, falamos em amor negativo, em falta de amor, em abandono. “Que tipo de amor existe na nossa casa? É um amor de cobrança? Só te dou amor se você se comportar, se você tirar boas botas, se você fizer.. aí você ganha? É um amor compensatório de culpa que hoje se vive demais!”, me explicou Heloísa.

Clique aqui para ler o post completo

Dinheirama Entrevista: Vamos falar sobre Educação à Distância?

Recentemente, o Censo da Educação Superior divulgado pelo Ministério da Educação  mostrou aumento de 27% no acesso à formação superior não-presencial neste último ano. São cerca de 1,8 milhão de alunos matriculados em cursos de Graduação à Distância, o maior número já registrado em 10 anos. E você? Já pensou em estudar através do computador?

Para entender mais sobre o assunto, o Dinheirama conversou com o CEO da Descola.org, André Tanesi. Ele é formado em comunicação social pela ESPM e trabalhou na área de marketing de grandes empresas do varejo e em bancos, até montar a Descola como uma nova opção ao aprendizado informal. “A Descola me proporcionou a introdução nesse mercado de educação e me preparou como empreendedor, dado que com ela passamos por três importantes programas de aceleração, como o SEED – Belo Horizonte, Lisbon Challenge e Startup Chile”, explica.

Clique aqui para ler o post completo 

Manual para limpar o nome e acabar com as dívidas

As perspectivas econômicas do país  não são as melhores. Tomar dinheiro emprestado se tornou atividade corriqueira, simples e sem burocracia, ainda assim, os juros altos se tornaram perversos e corromperam o orçamento de muitas famílias.

O desemprego e o número de desocupados atingiram números recordes. O índice de confiança, tanto do empresário quanto do consumidor, também não são os melhores.

O parágrafo anterior representa o retrato de um Brasil que já foi melhor, não há como negar, mas que atualmente nos coloca desafios especiais para quem vive suas primeiras oportunidades de lidar com dinheiro e para milhares de famílias que esperam, depois de muito esperar, a possibilidade de voltar a consumir, comprar supérfluos e também ter acesso ao crédito. O endividamento excessivo ainda atrapalha a vida de muitos brasileiros.

Clique aqui para ler o post completo

 

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários