Olá amigo leitor, tudo bem? Chegou mais um Top 5 Dinheirama. Como você já sabe, todo início de semana, publicamos uma seleção com o resumo dos cinco artigos mais lidos, comentados e compartilhados da semana anterior.

A ideia é lhe oferecer um panorama das preferências de outros leitores do Dinheirama e reunir os artigos de forma a oferecer um começo de semana mais proveitoso.

Os artigos mais lidos na semana passada foram:

Aprenda a investir com Leandro Martins: Curso de bolsa (aula 2: Opções)

Quem acompanha meu trabalho sabe o quanto valorizo a oportunidade de trocar experiências.

Não tenho dúvidas de que é no dia a dia que o investidor ganha a experiência e o conhecimento necessário para aproveitar as oportunidades, que nem sempre estão visíveis, para quem não tem o mínimo de conhecimento.

Durante os onze anos de existência do Dinheirama já estive por aqui diversas vezes, desta vez, pensei em oferecer algo um pouco diferente, um curso de Bolsa de Valores, a partir das lives que fiz nos últimos meses na modalmais, que também é parceira de investimentos do Dinheirama.

Clique aqui para ler o post completo

Criptomoedas: conheça a primeira “stable coin” do Brasil

No Dinheirama estamos sempre buscando trazer as novidades do mercado para você. Desta vez, vamos falar sobre uma criptomoeda diferenciada, a GoMoney Criptocoin. Normalmente, quando falamos em moedas digitais, costumamos associá-las às bruscas variações no valor e seus respectivos riscos. Mas agora a fintech GoMoney, focada no mercado de turismo, está lançando a GoMoney Criptocoin (GMC), que a startup explica ser a primeira “stable coin” no Brasil, uma criptomoeda que tem valor padronizado em dólar. E o que isso significa?

Ter valor padronizado em dólar significa que cada GMC equivale a um dólar americano. E este valor baseado em dólar tem como premissa manter a cotação da GMC tangível e passível de ser facilmente convertida em outras moedas.  Ou seja, trata-se de uma nova maneira de encarar o mundo das criptomoedas, e vale a pena você ficar por dentro!

Clique aqui para ler o post completo

Cansei de ser pobre: 5 armas para enriquecer e zerar a vida

Desde que comecei a me interessar pelo mundo das finanças, procurei buscar informações sobre as pessoas que, no decorrer de sua trajetória, se tornaram referências de sucesso.

Notei, por exemplo, que na maior parte das vezes o sucesso vem acompanhado de valorização financeira, afinal bons profissionais ganham bem e sabem dar valor ao seu esforço e patrimônio, sempre buscando desempenhar seus trabalhos com excelência e destaque.

A boa notícia é que é possível aprender e praticar o comportamento capaz de contribuir com o objetivo de ficar rico e ser mais feliz. Ao longo do tempo, as pessoas de sucesso conseguem aliar diversas qualidades com o enorme poder da objetividade e simplicidade.

São pessoas que sabem o quanto a disciplina e o comprometimento profissional são importantes, sabem que o “mais ou menos” não é o bastante quando o que está em jogo são seus nomes e, principalmente, os resultados que esperam alcançar.

Clique aqui para ler o post completo

Redes sociais: elas impulsionam ou prejudicam a sua carreira?

Volta e meia falamos aqui no Dinheirama sobre alguns comportamentos que acabamos tendo na vida e nas redes sociais. Vale para mim, para você, para todos ao nosso redor. É natural que acabemos não pensando muito em determinadas atitudes ou até deixemos de aproveitar um potencial enorme – no caso da internet – para organizar melhor os caminhos e destinos nos quais queremos chegar. Desta vez vamos falar um pouco sobre carreira: será que as suas postagens e a forma como tem utilizado as redes está prejudicando ou impulsionando a sua vida profissional?

Volta e meia vejo alguns colegas reclamando de que nunca são abordados por uma empresa de recrutamento do Linkedin, ou que nunca conseguem um retorno sobre vagas em grupos de trabalhos. Será que com tantas oportunidades que existem por aí, não há algo errado sendo feito? Pronto para pensar um pouco nisso? Vamos lá!

Clique aqui para ler o post completo

Arma secreta para acabar com as dívidas: esqueça o status

Mais da metade da população economicamente ativa de nosso país está endividada. São mais de 60 milhões de brasileiros.

Muitas pessoas, embora endividadas, não estão inadimplentes. Elas pagam regularmente as prestações do empréstimo, e seguem normalmente a vida.

No entanto, não podemos ignorar o fato de que essas pessoas dependem muito mais de suas fontes de renda do que aqueles que, ao invés de dívidas, possuem uma reserva financeira.

Este último grupo está preparado para os imprevistos da vida, e enquanto eles não chegam, o dinheiro da reserva vai sendo multiplicando em investimentos que rendem mais do que a inflação.

Clique aqui para ler o post completo

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários