dinheirama-post-bundao“Pare de ser um bundão e comece a ganhar dinheiro”. Talvez essa não seja a melhor forma de começar um artigo. Certamente não é a mais amigável.

Mas é essa mesma reação de incômodo que eu quero provocar em você. Além disso, foi exatamente essa frase que eu ouvi de meu pai quando tinha acabado de me graduar em Engenharia.

E esse incômodo foi o que senti no momento em que o ouvi dizendo isso pra mim. Na verdade, acho que foi o sentimento de injustiça.

Afinal de contas, eu era um excelente aluno, estava prestes a me formar em engenharia pela Unicamp, fazia parte de um ótimo programa de estágio, dava aulas num cursinho próximo de casa e estava sendo convidado por um professor para trabalhar como consultor junto dele numa refinaria da Petrobrás assim que me formasse.

Eu estava me esforçando pra construir minha vida e ganhar meu dinheiro, mas essa frase me levou a alguns meses de reflexão. Depois desse tempo, percebi que não havia nada mais verdadeiro do que aquilo que havia escutado do meu querido (e finado) pai.

Explico. Às vezes a gente “se atola” de compromissos, tarefas, reuniões, projetos, mas muito pouco conseguimos transformar em dinheiro. Isso acontece porque estamos nos concentrando muito pouco naquilo que realmente importa.

Se eu perguntar a uma pessoa qual é o objetivo dela nos negócios, provavelmente ela não conseguirá responder com um único objetivo. E vai acabar aumentando a lista proporcionalmente ao tempo que eu der para ela responder.

E esse excesso de objetivos nos engana. Nós achamos que estamos no caminho certo, quando na verdade estamos sempre nos sentimos esmagados pela pressão de “ter que fazer” alguma coisa sobre esse projeto, outra coisa sobre aquele outro e por aí vai. E acabamos por nunca fazer nada.

Além disso, quando temos muitos objetivos, acabamos sempre por realizar os mais fáceis. Claro! Não queremos sair da zona de conforto.

E, de novo, o que realmente importa nunca é feito. Já percebeu como isso sempre acontece?

O grande problema, então, não é a falta de objetivos. Objetivos todos temos. Então, o problema pode residir no excesso de objetivos. Sim, talvez esteja aí a grande resposta.

Então, a grande saída para isso pode ser definirmos sempre uma quantidade pequena de objetivos. É aqui que a mágica acontece. Quando definimos poucos objetivos, somos forçados a priorizar e a nos concentrar no que é importante.

E como priorizar é algo cada vez mais difícil nos dias de hoje, isso passará a ser o seu grande diferencial competitivo nos dias de hoje. Portanto, deixo aqui um grande exercício pra você:

1. Escolha um campo da sua vida que queira arrumar (pode ser finanças, saúde, relacionamentos, educação etc.);

2. Agora defina 3 objetivos que você deseja realizar até o próximo mês;

3. No próximo mês, avalie e redefina seus 3 objetivos.

Menos opções, mais foco! E outra dica: se você estiver pensando em “finanças”, então, leia novamente a frase de meu pai antes de definir os seus 3 objetivos: “Pare de ser um bundão e comece a ganhar dinheiro”.

E se estiver pensando em saúde, leia: “Pare de ser um bundão e comece a cuidar da sua saúde”. É provável que a frase de meu pai faça mais sentido agora. Lembre-se sempre dela para manter o foco nos objetivos que realmente farão a diferença na sua vida. Sucesso!

Foto Shutterstock. Mid adult businesswoman making hand frame in office, focus

Rodrigo T. Antonangelo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários