O Bitcoin, moeda virtual não emitida por nenhum governo, apareceu em 2008 no grupo de discussão The Cryptography Mailing. Naquela época, poucos imaginavam a valorização e importância que teria no futuro. Hoje, após ter sido a moeda que mais valorizou em 2016, passou a chamar mais a atenção, mas ainda causa dúvidas. Pensando nisso, Fernando Pavani, CEO da BeeTech, empresa que oferece soluções cambiais 100% online, criou um questionário para esclarecer a cryptomoeda. Confira:

eBook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

O que é Bitcoin?

Tecnologia criada em 2008, a Bitcoin é uma moeda virtual, uma cryptomoeda – ou cryptocurrency, porém as “cédulas virtuais” não são emitidas por nenhum governo e não possuem um órgão regulador – o que dificulta um pouco seu uso e gera muitas dúvidas sobre o que pode e o que não se pode fazer com esta moeda virtual.

O maior motivo alegado por pessoas que compram Bitcoins é o de investimento: compra-se a moeda esperando que ela se valorize muito e, assim, se assuma um ganho de valor.

O uso de Bitcoin é visto como o futuro por muitos especialistas e alguns países já estão encontrando um lugar em sua economia para as criptomoedas. O Japão já regularizou a moeda digital como forma de pagamento e a Rússia já anunciou planos para fazer o mesmo em 2018.

É possível fazer compras com Bitcoin?

Sim. A criptomoeda é como qualquer outro tipo de dinheiro, compras podem ser feitas em marcas como Dell e Tesla, na plataforma de blogs WordPress e também no site de música Soundcloud.

Pode-se ainda realizar transferências de dinheiro em internet, adquirir games digitais e fazer doações para instituições globais conhecidas, como Wikipedia ou Greenpeace. Pagar hospedagens, mercadorias em geral e produtos online também fazem parte da ampla variedade de pagamentos que podem ser feitos com o Bitcoin.

Atualmente, há diversos varejistas online, lojas e marcas que estão aderindo ao Bitcoin como forma de pagamento de seus produtos e acreditamos que no decorrer dos anos diversas marcas irão aderir à essa tecnologia.

Como funciona a valorização do Bitcoin?

Sem saber onde aplicar seu dinheiro, muitas pessoas optaram por investir em Bitcoin. A valorização da moeda digital foi expressiva entre o final de 2014 e começo de 2015, com um crescimento de 92% apesar da instabilidade econômica.

A valorização da moeda funciona de acordo com a demanda e empresas que estão aderindo a essa forma de pagamento. Por ser uma moeda limitada, o preço acaba sendo muito mais alto (a demanda não é tão grande). Nos últimos anos, a valorização está em constante crescimento, mas arriscar um patamar o média para os próximos anos seria irresponsabilidade.

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Quem criou o Bitcoin?

Desde o surgimento do Bitcoin, a identidade do criador nunca tinha sido revelada. Há pouco tempo, com pseudônimo Satoshi Nakamoto, o criador revelou sua identidade e se chama Craig Wright, um empreendedor australiano.

Quando vale investir em Bitcoin?

É imprevisível. Há uma relação de custo x benefício (e custo de oportunidade) como em qualquer outra moeda. Não há como prever um bom momento para investir em Bitcoin. O preço é determinado pela lei da oferta e demanda, sendo bastante volátil ainda. Vale lembrar que, por ser uma moeda fácil e prática, ela está atraindo cada vez mais clientes, mas é limitada e escassa no mercado.

Quais as dicas para ter sucesso no investimento em Bitcoin?

Tenha calma. O Bitcoin é um investimento de longo prazo e não deve ser a única aposta de nenhum investidor. Ganhar dinheiro da noite para o dia é o sonho dos investidores, mas não é a realidade. Uma grande variação de preço pode resultar em lucros ou prejuízos, dependendo do investimento inicial.

Tenha espírito empreendedor. O Bitcoin vem crescendo muito rápido, há oportunidades, mas também riscos. Seu futuro é imprevisível, ainda é um investimento arriscado, mas não tanto quanto era no ano de seu surgimento. Planejar e estudar seus investimentos é sempre uma boa saída.

Tenha consciência do crescimento. A escassez desta moeda é enorme e a demanda crescente. O potencial de crescimento do Bitcoin é muito grande. Uma das grandes invenções da tecnologia nos últimos anos, tem um leque grande de vantagens e benefícios que conquista cada vez mais clientes pela facilidade, segurança e rapidez nas compras.

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

Como fazer para abrir uma conta em uma bolsa de bitcoin no exterior?

É possível comprar Bitcoin nos mercados internacionais, como: Coinbase, Circle, Kraken, Bitstamp, DriveWealth e SpectroCoin. O processo de abertura de conta é fácil. Primeiro, você precisa conectar uma conta corrente à sua conta em algum mercado ou bolsa Bitcoin, e este mercado deve estar disponível no país da sua conta de destino.

Ao escolher a sua bolsa Bitcoin, você deve entrar no site para se cadastrar. Os documentos necessários para realizar o cadastro na maioria das bolsas são: RG, passaporte, comprovante de residência (alguns exigem o comprovante com tradução certificada para o inglês) e uma carta do banco ou extrato de meses anteriores. Em poucos passos, você abre a sua conta em uma bolsa de Bitcoin e já pode começar a investir.

Fernando Pavani
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários