Home Empresas Twitter violou contrato ao não pagar milhões em bônus a trabalhadores, diz juiz

Twitter violou contrato ao não pagar milhões em bônus a trabalhadores, diz juiz

Os advogados do Twitter argumentaram que a empresa fez apenas uma promessa oral, que não era um contrato

por Reuters
0 comentário
X,Twitter (Imagem: Reprodução/REUTERS/Dado Ruvic)

O Twitter violou contratos ao não pagar milhões de dólares em bônus que a empresa de mídia social, atualmente chamada de X Corp, havia prometido a seus funcionários, decidiu um juiz federal dos Estados Unidos.

Mark Schobinger, que era diretor sênior de remuneração do Twitter antes de deixar a empresa de Elon Musk em maio, processou o Twitter em junho, alegando quebra de contrato.

O processo de Schobinger alegou que antes e depois que o bilionário comprou o Twitter no ano passado, ele prometeu aos funcionários bônus de metas para 2022 de 50%, mas nunca fez esses pagamentos.

Ao negar a moção do Twitter para encerrar o caso, o juiz distrital Vince Chhabria, decidiu que Schobinger declarou plausivelmente uma reivindicação de violação de contrato e que ele estava coberto por um plano de bônus.

“Depois que Schobinger fez o que o Twitter pediu, a proposta do Twitter de lhe pagar um bônus em troca se tornou um contrato vinculativo sob a lei da Califórnia. E ao supostamente se recusar a pagar a Schobinger o bônus prometido, o Twitter violou esse contrato”, escreveu o juiz.

(Imagem: REUTERS/Carlos Barria)
(Imagem: REUTERS/Carlos Barria)

Os advogados do Twitter argumentaram que a empresa fez apenas uma promessa oral, que não era um contrato, e que a lei do Texas deveria conduzir o caso, de acordo com o Courthouse News, que primeiro reportou a decisão.

Mas o juiz decidiu que a lei da Califórnia conduzirá o caso e que “todos os argumentos contrários do Twitter falharam”.

A empresa de rede social é alvo de numerosos processos de ex-funcionários e executivos desde que Musk comprou a companhia e na sequência demitiu mais de metade de sua força de trabalho.

Os processos variam desde discriminação contra funcionários mais velhos, mulheres e pessoas com deficiência a não cumprir aviso prévio no caso de demissão em massa.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.