Por Márcio Fenelon, especialista em imóveis e colaborador do Criando Riqueza, o canal de educação financeira da Empiricus, nossa parceira de conteúdo.

Apesar das taxas de juros estarem altas e termos à disposição muitos investimentos interessantes no mercado financeiro, o brasileiro ainda ama investir em imóveis, seja por herança cultural ou pela segurança que este ativo proporciona, especialmente em tempos de crise.

Todos sabemos que a “era de ouro” dos imóveis no Brasil já ficou para trás. Basta dar uma olhada neste gráfico para percebermos que nos últimos 10 anos houve uma valorização de 4x no valor dos imóveis, e também percebemos que de meados de 2014 para cá a situação ficou diferente, chegando até a registrar uma leve queda nos preços.

Um plano simples para você ter 5 imóveis em 72 meses

Se o melhor já passou, por que estamos a apresentar um plano de investimentos em imóveis para os próximos 6 anos?

É porque a época de ganhar dinheiro com imóveis com a conhecida “gestão passiva” acabou. Na gestão passiva, bastava comprar qualquer imóvel e esperar colher os lucros, no entanto, daqui pra frente, estamos entrando numa etapa mais promissora ainda dos investimentos em imóveis, mas apenas para quem souber realizar a “gestão ativa“, pois ela é capaz de construir riqueza.

A demanda por imóveis continuará existindo. As pessoas vão seguir se casando, tendo filhos, e procurando um lugar para morar. A cada ano cerca de 1 milhão de novas famílias são formadas.

Agora, voltando ao tema deste texto, que tal você ter um plano, simplificado, para ter 5 imóveis nos próximos 72 meses (ou 6 anos)?

Um plano simples para você ter 5 imóveis em 72 meses

Para entender melhor, você precisa aprender a regra do 1/3. Em resumo, é assim que funciona:

  • Custo de 1/3 (ou 33%) para aquisição do terreno.
  • Custo de 1/3 para construção, impostos e demais despesas.
  • E lucro de 1/3 sobre o preço de venda.

Num exemplo, prático, digamos que você tenha R$ 80.000,00 para investir. Quem aplica a Regra do 1/3 gastaria, por exemplo, R$ 40 mil em um terreno. Investiria mais R$ 40 mil para construir o imóvel. E o preço de venda seria de R$ 120 mil, ou seja, lucro de 1/3. Seriam gastos R$ 80 mil para um retorno de R$ 40 mil.

Você vai colocar esse retorno no bolso em um ano e meio (ou 18 meses), tempo médio para que um projeto desse tipo seja concluído.

Repetindo o investimento, agora com R$ 120.000,00, chegaríamos a R$ 180.000,00 em mais um ano e meio. E assim por diante, conforme mostrado na imagem anterior. Estamos falando de 6 anos, mas você poderá continuar com isso por quanto tempo desejar, e o melhor, fazendo tudo em paralelo com seu atual trabalho.

Mas lembre-se: isso só será possível se você aprender e aplicar a gestão ativa de imóveis.

Eu tenho muito mais a falar sobre isso, mas o espaço aqui é pequeno. Então te convido para continuarmos a desenvolver este raciocínio numa página exclusiva que preparamos, com todos os detalhes, e o mais importante, que é a apresentação de um plano detalhado e simplificado, tipo passo a passo, onde você aprenderá não só a executar corretamente a regra do 1/3, como terá ainda muitos outros detalhes sobre o assunto.

Então, nem vou me despedir. Basta clicar aqui para continuarmos com esse papo.

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto “house in construction”, Shutterstock.

 

Criando Riqueza
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários