Uma marca chamada você Um dos aspectos da gestão de carreira é a atenção ao Marketing Pessoal[bb]. A rotina do trabalho acaba levando as pessoas a se acomodarem e não darem a atenção merecida à sua imagem. Usar o marketing pessoal traz benefícios não só para quem deseja uma colocação no mercado de trabalho, mas também para quem deseja manter seu emprego. Praticar o marketing pessoal aumenta o nível de empregabilidade, cria oportunidades de ascensão profissional e promove descobertas interessantes no universo pessoal.

Marketing pessoal é um conjunto de ações planejadas com o objetivo de facilitar a satisfação profissional e pessoal. Um percurso individual onde o objetivo não é divulgar uma melhor imagem pessoal e sim tornar-se uma pessoa melhor. Trata-se de um processo de desenvolvimento individual e, por isso, a base para uma boa prática do marketing pessoal é o autoconhecimento.

A visibilidade pessoal e profissional é fator importante para o desenvolvimento da carreira, mas o reconhecimento de um trabalho bem executado muitas vezes é difícil de ser notado dentro do cotidiano das empresas. Aliás, é muito mais fácil ser criticado e cobrado do que receber elogios freqüentes. O fato é que precisamos tomar conta de nossa vida de uma maneira adequada, como nos alerta o consultor de marketing Seth Godin:

Muitos de nós fomos ensinados a fazermos o melhor e, em seguida, deixarmos que o mundo decida como nos julgar. Acho que é mais acertado você fazer o seu melhor e você decidir como quer ser julgado. E agir dessa forma.

Kotler e Armstrong dizem que a marca de produto não é só um nome ou símbolo, ela representa sentimentos na mente do consumidor-alvo. Quando falamos em marketing pessoal o produto em questão é você e tudo o que você representa para seu consumidor-alvo: nesse caso, a empresa e seus colegas de trabalho.

Uma imagem positiva e duradoura é construída e sustentada diariamente a partir de competências individuais e reais. Nossa marca pessoal depende de como as pessoas percebem nossos atributos pessoais e profissionais, dentre eles nossas atitudes, ética, aparência, comunicação[bb] e habilidades. Atenção! Vender uma imagem fantasiosa é comprometer o futuro, pois é muito difícil ser uma ilusão durante muito tempo. Veja o que diz o professor e escritor Bobbi Linkemer a esse respeito:

A imagem – profissional ou pessoal – deve ser a genuína expressão do que a pessoa é, e não um pacote de truques elaborados para enganar alguém que se está tentando impressionar; e essa expressão deve ser adequada à situação, ao ambiente ou à cultura que a pessoa está envolvida

Para iniciar a prática do marketing[bb] pessoal algumas perguntas são importantes, pois auxiliarão no exercício do autoconhecimento:

  • Você sabe qual é sua marca pessoal?
  • Como é visto pela sua equipe de trabalho?
  • Que diferença faz na empresa que trabalha?
  • Qual a primeira impressão que causa nas pessoas?
  • Que sentimentos desperta no ambiente que está?

Anote suas respostas, reveja-as depois de alguns dias e conseguirá encontrar mais informações a respeito de si mesmo. Tente um momento de pausa nessa vida agitada e esteja com você. Observe seu ambiente e como as pessoas agem procurando fazer um benchmarking pessoal. O assunto é rico, extenso e a intenção desse artigo é apresentar essa ferramenta e comentar alguns aspectos que julgo importantes para o início da prática do marketing pessoal:

  • Como a base para um bom marketing pessoal é o autoconhecimento, procure listar seus pontos fortes e seus pontos frágeis. O objetivo é investir nos aspectos fortes e melhorar os aspectos em defasagem. Pense em suas habilidades, conhecimentos, atitudes e temperamento;
  • Avalie seu networking. Há quanto tempo você não conhece pessoas novas, freqüenta seminários, eventos e feiras, reencontra antigos colegas ou pessoas influentes na sua área? O importante é a qualidade da relação que se estabelece e não o número de pessoas que conhece. Outra dica é que essas relações levam um tempo para se estabelecerem, assim é melhor estabelecer essa rede antes que precise dela;
  • Cartão de visitas é uma ferramenta importante, tenha-os sempre em mãos. Quem não tem é melhor providenciar um;
  • Aprimore atitudes e linguagem corporal, pois através delas sua imagem é formada. Procure ser positivo, olhar nos olhos, falar com firmeza, chamar os outros pelo nome, saber ouvir e ser objetivo;
  • Quais as oportunidades que tenho dentro da empresa e o que posso fazer para alcançá-las?
  • Quais as ameaças que consigo identificar em meu trabalho e o que posso fazer para neutralizá-las?
  • Que cuidados tenho com a minha saúde física, mental, emocional e espiritual?
  • As questões financeiras precisam estar dentro do limite aceitável para conseguir ter tranqüilidade para pensar nas questões acima.

O marketing pessoal representa ações integradas e sua prática repercute em todos os aspectos da vida do indivíduo. Quando estabelecemos uma marca forte ganhamos autoconfiança encantando as pessoas a nossa volta e aumentando nosso reconhecimento.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre algum item abordado? Deixe seu comentário que escreverei mais sobre esse assunto a partir do interesse de vocês. Um abraço e até semana que vem!

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários