Valuation como um mindset

Valuation – valoração em português – é o conceito mais importante em finanças e todo empreendedor deve conhecer o valor da sua empresa, projeto ou startup.  Por quê? Porque o objetivo principal do negócio é gerar valor e porque o valuation dá a resposta para a pergunta “Quanto valor você está gerando?” – a questão mais importante no mundo de negócios.

Por isso, valuation é muito mais do que um simples número; é um diagnóstico financeiro que captura toda e qualquer alteração que há na empresa, seja crescimento de receita, redução de custos ou impacto do ambiente econômico. Assim, valuation é um mindset que vincula sua gestão a seu valor em uma visão holística.

E repare que estamos falando de valor, não de preço. Qual a diferença? Para ajudar a explicar isso, sempre gosto de usar o insight de Warren Buffett, o investidor mais famoso do mundo, que diz que o “preço é que você paga, valor é que você ganha”. Mas o que realmente ele quer dizer com isso?

Leitura recomendada: Startup: Como Calcular o Valuation e a Participação do Investidor-Anjo?

Preço versus valor

Ele quer dizer que, às vezes, o preço e o valor não são iguais. Se definimos preço como o montante exigido ou pago em troca de um bem, podemos dizer que o valor é nossa opinião sobre a importância ou utilidade desse bem.

Assim, valor é relativo, enquanto o preço é fixo. Um exemplo clássico disso seria algo como: quanto custa uma garrafa de água no supermercado? Dois ou três reais, certo? Agora pense no valor desta garrafa de água quando você estiver morrendo de sede em um deserto.

Pensando assim, o valor se torna uma função de preço pago e benefícios esperados. Esta distinção é importante porque o valuation vai te dizer quanto vale sua empresa com base em suas características fundamentais e não o preço da negociação, que pode ser acima ou abaixo deste valor.

Mas como funciona?  

O bom senso diz que não devemos pagar mais num bem do que ele vale. É o valuation que vai te dar um norte neste sentido. Assim, podemos definir o valuation como o processo de estimar quanto algo vale.

Além disso, em uma economia do mercado, que é basicamente um mecanismo de transmissão de informações de preços, o valuation tem um papel central em quantificar e conduzir esta informação.

Por isso, a maioria das atividades financeiras necessita compreensão – até mesmo inconscientemente – de valuation: trocar dinheiro agora, comprando ações para ganhar retornos futuros; emprestar dinheiro para um projeto de expansão; ou até escolher um produto no supermercado. Tudo isso envolve valuation e o raciocínio de custo/benefício que faz estas decisões econômicas possíveis.

Bem, como é calculado então? Existem vários métodos de cálculo de valuation, mas somente duas abordagens principais: múltiplos do mercado e o fluxo de caixa descontado.

Workshop recomendado: Finanças pessoais e empreendedorismo – Workshop lançamento Dinheirama

Valuation relativo

No método de múltiplos, ou valuation relativo, estimamos o valor dos ativos, comparando com preços de ativos parecidos considerando uma métrica comum, como receita/faturamento, lucro ou valor contábil.

Para um exemplo simples, digamos que você é o proprietário de uma empresa de tecnologia e você quer saber quanto ela vale. Você já ouviu falar que empresas semelhantes vendem por cinco vezes o seu lucro (ou seja, um múltiplo de cinco), o que significa que a sua empresa com um lucro anual de R$ 200 deve vender por R$ 1.000. Simples né? Bom, pode ser simples até demais.

A abordagem dos múltiplos funciona estimando o que as pessoas estão realmente pagando ao comprar ou vender ativos, mas a utilidade deste insight depende se a amostra comparativa de dados é grande o suficiente.

Não se pode usar um ativo como comparativo, deve-se ter vários, de empresas do mesmo setor (por exemplo, para a empresa de tecnologia estamos falando de software, hardware ou consultoria?), com semelhanças geográficas (com base na cidade, estado ou país?) e de tamanho (pequeno ou grande) parecido.

Porém, obter uma amostra de dados significativa é muito difícil. Além disso, a avaliação relativa não leva em conta os fundamentos da sua empresa, tais como a estrutura de custos e crescimento de ativos e riscos. Assim, podemos dizer que seu foco é na estimativa de preço e não do valor.

Fluxo de caixa descontado

Por isso, o método fluxo de caixa descontado (ou “FCD”) é o método mais aceito no mercado para fins de avaliação intrínseca. O objetivo aqui é projetar o fluxo de caixa livre – livre no sentido do que sobra para os donos da empresa depois de pagar todos os custos, impostos e investimento da operação – para os próximos anos e determinar o quanto eles valem hoje.

Nesta abordagem o valor do seu negócio é baseado em três elementos chave:

  • O desempenho atual da empresa;
  • A perspectiva de crescimento em ativos, receita e custos;
  • E o risco associado com estes fluxos de caixa esperados.

Depois de estimar os fluxos de caixa e determinar uma taxa de desconto apropriada, basta utilizar o conceito de valor presente para calcular o valor dos fluxos de caixa. O valor presente é simplesmente o valor futuro dos fluxos de caixa descontado para o valor atual.

Em outras palavras, quanto você pagaria hoje em um dólar que vai ser dado daqui a um ano?

A importância do valuation

Para compra e venda de negócios, o valuation é muito importante! No entanto, ele poderia (e deveria) ser usado como o principal indicador de como você gerencia seu negócio. O objetivo deste valor é acompanhar a eficácia do seu processo de tomada de decisão.

Assim, o valuation também é fundamental para planejamento estratégico, viabilidade de projetos e captação de recursos. Ele ainda ajuda o empreendedor a ter uma visão holística e inteligente do seu negócio.

Leitura recomendada: Como conseguir investimento via Equity Crowdfunding?

Mas não considere apenas a minha palavra, vamos fechar este artigo com uma citação do investidor mais famoso no mundo, Mr. Buffett: “Se as escolas de negócios pudessem oferecer apenas um curso, não seria negociação de ações ou teoria moderna de portfólio. Em vez disso, escolas de negócios deveriam incentivar os alunos a aprender a complexa, mas extremamente importante, disciplina de valuation”.

Adam Patterson
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários