Home Economia e Política Vaticano prende ex-funcionário por venda de manuscrito de Bernini

Vaticano prende ex-funcionário por venda de manuscrito de Bernini

Os promotores do Vaticano decidirão na próxima semana se ele será formalmente indiciado

por Reuters
0 comentário

A polícia do Vaticano prendeu um ex-funcionário por supostamente tentar vender à cidade-estado um manuscrito do Século 18 do mestre barroco italiano Gian Lorenzo Bernini que havia desaparecido dos arquivos, disse um porta-voz do Vaticano.

Os especialistas disseram que o documento de 18 páginas, com miniaturas douradas, contém os primeiros detalhes das características decorativas do dossel da Basílica de São Pedro, projetado pelo escultor e arquiteto Bernini.

Bernini é considerado o principal mestre da arquitetura barroca italiana do Século 18 e, entre suas obras-primas, está a colunata que circunda a Praça de São Pedro.

O suspeito, que foi preso em 27 de maio sob a acusação de tentativa de extorsão, havia trabalhado para a Fabric of St. Peter, a instituição responsável pela conservação e manutenção da Basílica de São Pedro.

Ele permanece sob custódia no Vaticano e foi interrogado duas vezes nos últimos dias, acrescentou o porta-voz.

Os promotores do Vaticano decidirão na próxima semana se ele será formalmente indiciado.

Os promotores iniciaram a investigação após uma reclamação da Fabric e prenderam o homem quando ele trouxe o manuscrito de volta ao Vaticano, oferecendo-o por 120.000 euros.

A notícia foi divulgada pela primeira vez pelo jornal italiano Domani, que identificou o suspeito como ex-chefe de comunicações da Fabric e disse que ele teria tentado vender o manuscrito ao Cardeal Mauro Gambetti, o arcipreste da Basílica de São Pedro.

O Domani disse que o manuscrito desaparecido estava novamente em poder do Vaticano.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.