Home Comprar ou Vender Veja as ações “escola de samba” da B3 e quais você realmente deve comprar agora

Veja as ações “escola de samba” da B3 e quais você realmente deve comprar agora

R$ 9 bilhões para o Carnaval 2024: veja quais quatro ações da B3 serão beneficiadas diretamente: o que a Ambev, CVC, Gol e Azul têm a ganhar

por Gustavo Kahil
0 comentário
Carnaval 4

Quatro ações negociadas na B3 devem ser as “escolas de samba” que podem ganhar com os R$ 9 bilhões esperados de movimentação da economia durante o Carnaval de 2024.

Segundo a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), a estimativa está 10% acima do visto no ano passado.

Em ritmo de recuperação pelo quarto ano seguido, será a primeira vez que o faturamento deve superar o patamar anterior à pandemia de covid-19.

Segundo a Nord Research, as empresas que devem se beneficiar no momento são a Ambev (ABEV3), CVC (CVCB3), Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4), mas os papeis que você precisa comprar mesmo são outros.

O impacto total implicaria uma perda estimada de valor de mercado para a Ambev de aproximadamente 20%, avaliam os analistas Leandro Fontanesi e Ricardo França
(Imagem: Reprodução/ Youtube/ Ambev)

Ambev

A Ambev ganha com a demanda maior por bebidas alcoólicas e não alcoólicas, porém fatores específicos do setor atrapalham o seu desempenho.

A competição tem sido acirrada, principalmente da Heineken, que tem investido na Amstel, da categoria que compete diretamente em preços.

“Com a guerra de preços e os custos em dólar (35–40% dos custos totais), a Ambev não tem conseguido elevar seus resultados. Avaliando os últimos nove anos, observamos boa parte dos resultados de forma lateralizada”, explica a analista Danielle Lopes.

Segundo ela, a companhia também foi acusada de cometer uma fraude tributária estimada em R$ 30 bilhões, o que não contribui para entender que a gestão é idônea e que existe transparência em seus números reportados.

“Apesar de caixa líquido (mais caixa do que dívidas) e uma boa rentabilidade (ROE) de atuais 16,72%, não achamos que faz sentido correr risco de competição de preços, vendo as margens da companhia sendo amassadas e com dificuldade para crescimento de resultados devido à estagnação no volume de vendas”, explica.

A ação é negociada a 14 vezes o preço sobre o lucro e a 8 vezes o Ebitda. A recomendação de Lopes é ficar de dora.

CVC
(Imagem: Divulgação/ CVC)

CVC

Já a CVC tem passado por altos e baixos desde muito antes da pandemia.

“Desde então, a CVC foca em ajustar sua estrutura de capital, diante dos resultados ruins, com sucessivas emissões desde 2020”, lembra a analista.

Recentemente, contudo, a companhia fez operações que só diluíram o acionista e não foram suficientes para reduzir seu endividamento.

“Desde o escândalo com a Hurb e a ausência de possibilidades de oferecer pacotes pagos antes da alta dos preços nos combustíveis e, por consequência, nas passagens aéreas, o mercado de turismo passa por uma” crise de confiança””, lembra Lopes.

Além disso, o pedido de recuperação judicial da 123 Milhas e a parada temporária da Hot Milhas atrapalharam o setor. Isso, contudo, deixou espaço para que a CVC se beneficie da retomada do fluxo de viagens.

“Mas nosso maior questionamento envolve as pessoas lesadas com os pacotes perdidos nas demais companhias, além do tempo de retorno ao mercado de turismo e se, de fato, será a CVC a companhia capaz de absorver a demanda reprimida”, questiona a analista.

Segundo ela, com as sucessivas subscrições, os múltiplos da companhia com emissão e posterior uso dos recursos, além do histórico de prejuízo, não é possível avaliá-la por múltiplos. A recomendação é ficar de fora.

Azul 97
(Imagem: Gustavo Kahil/ Dinheirama)

Gol e Azul

As duas empresas estão no setor avaliado pela analista como um dos mais complicados da bolsa.

A Gol aprovou seu processo de recuperação judicial nos Estados Unidos diante de uma dívida de R$ 20 bilhões, sendo R$ 3 bilhões no curto prazo.

“Observando apenas o histórico de lucro líquido dos últimos 10 anos, em que temos 10 anos completos para Gol e 6 anos para Azul, vemos que ambas transitam mais em patamares de prejuízo do que de lucro”, analisa Lopes.

Ela chama atenção para que, mesmo com uma rentabilidade aparentemente alta (24,41%), a Azul está muito mais alavancada do que a Gol (5,28 vezes a dívida líquida/Ebitda), e os múltiplos podem ser interpretados da forma incorreta.

“A Azul segue com resultados ruins e acúmulo de prejuízos no balanço. O ROE (lucro líquido/patrimônio líquido) fica positivo, orientando uma conclusão incorreta”, assinala. A recomendação é ficar de fora das duas.

Vamos Tratores
(Imagem: Divulgação/ Vamos)

O que comprar?

Tendo tudo isso em vista, a Nord pontua que é importante sempre ter cuidado ao escolher empresas que podem se beneficiar apenas de um momento oportuno.

“O mercado poderá reconhecer isso antes que seus resultados sejam entregues e, caso não atinjam as expectativas, as ações sofrerão”, ressalta o relatório.

As recomendações “mestres-salas” para 2024 são Prio (PRIO3), Grupo GPS (GGPS3) e Vamos (VAMO3).

“Essas empresas fazem os investidores jogarem serpentinas e confetes para cima de tão lucrativas”, conclui.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Faça parte da rede “O Melhor do Dinheirama” com as melhores análises e notícias

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.