Home Economia e Política Vendas no varejo sobem 0,9% em abril

Vendas no varejo sobem 0,9% em abril

No mês passado, a variação havia sido de 0,3%. A média móvel trimestral variou 0,7% no trimestre encerrado em abril

por Agência IBGE
0 coment√°rio

Em abril de 2024, o volume de vendas do com√©rcio varejista cresceu 0,9%, na compara√ß√£o com mar√ßo, na s√©rie com ajuste sazonal, chegando ao quarto m√™s seguido de varia√ß√Ķes positivas.

No mês passado, a variação havia sido de 0,3%. A média móvel trimestral variou 0,7% no trimestre encerrado em abril.

Na¬†s√©rie sem ajuste sazonal, o com√©rcio varejista subiu 2,2% em rela√ß√£o a abril de 2023, 11¬™ taxa consecutiva no campo positivo. O¬†acumulado no ano¬†chegou a 4,9% enquanto o¬†acumulado nos √ļltimos 12 meses¬†ficou em 2,7%.

No comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças, material de construção e atacado de produtos alimentícios, bebidas e fumo, o volume de vendas caiu 1,0% na série com ajuste sazonal. A média móvel trimestral variou -0,1%. Na série sem ajuste sazonal, o varejo ampliado cresceu 4,9%, acumulando no ano alta de 4,7% ante o mesmo período de 2023 e de 3,3% em 12 meses.

Em abril, o comércio varejista brasileiro cresceu 0,9% na comparação com o mês anterior, após a variação positiva registrada em março (0,3%).

Economia
(Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil)

O setor registrou taxas positivas em todos os meses deste ano e, com esse resultado, o maior n√≠vel da s√©rie hist√≥rica, que se encontrava em mar√ßo de 2024, foi deslocado para abril. Assim, o varejo cresceu 4,0% no segundo bimestre, o 10¬ļ consecutivo com resultados positivos, na compara√ß√£o com o mesmo bimestre do ano anterior. No primeiro bimestre deste ano, o crescimento havia sido de 6,0%.

Cinco das oito atividades avançam na série com ajuste sazonal

Em abril de 2024, na série com ajuste sazonal, houve taxas positivas em cinco das oito atividades: Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (14,2%), Móveis e eletrodomésticos (2,4%), Combustíveis e lubrificantes (2,2%), Hiper, supermercados, produtos  alimentícios, bebidas e fumo (1,5%) e Artigos farmaceuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (0,6%).

Por outro lado, houve resultados negativos em dois setores em relação a março: Livros, jornais, revistas e papelaria (-0,4%) e Tecidos, vestuário e calçados (-0,7%). Já atividade de  Outros artigos de uso pessoal e doméstico apresentou estabilidade (0,0%) nessa comparação.

No comércio varejista ampliado, tanto a atividade de Veículos, motos, partes e peças (1,6%) quanto a de Material de Construção (1,9%) tiveram resultados positivos. 

Seis atividades do varejo avan√ßam na compara√ß√£o com abril de 2023

Em relação a abril de 2023, seis dos oito setores investigados avançaram: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (18,9%), Equipamentos e material para escritório informática e comunicação (16,1%), Móveis e eletrodomésticos (8,0%),  Outros artigos de uso pessoal e doméstico (4,6%), Livros, jornais, revistas e papelaria (2,4%) e  Combustíveis e lubrificantes (1,8%).

Os outros dois recuaram na mesma comparação: Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,3%) e Tecidos, vestuário e calçados (-1,5%).

No comércio varejista ampliado, enquanto Veículos e motos, partes e peças e Material de construção cresceram quando comparados a abril do ano passado (taxas de 28,8% e 16,3%, respectivamente), a atividade de Atacado de produtos alimentícios, bebidas e fumo registrou queda de 13,0%.

Varejo
(Imagem: REUTERS/Agustin Marcarian)

A atividade de¬†Artigos farmac√™uticos, m√©dicos, ortop√©dicos e de perfumaria¬†cresceu pelo 14¬ļ m√™s consecutivo no indicador interanual, atingindo 18,9% nas vendas frente a abril de 2023, maior varia√ß√£o dentre as oito atividades. Tal amplitude no indicador interanual tamb√©m fez com o que o setor exercesse a maior contribui√ß√£o na composi√ß√£o da taxa, somando 1,7 p.p. ao total de 2,2% do varejo.

No acumulado do ano, a entrada do mês de abril (13,8%) representou um aumento da intensidade dos ganhos, uma vez que o resultado até março havia sido 12,2%. No caso do acumulado de 12 meses, os ganhos até abril são de 9,0%, acima do acumulado até março: 7,7%.

O setor de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação cresceu 16,1% nas vendas frente a abril de 2023, contra queda de 12,0% em março de 2024 frente a março de 2023.

O setor vem apresentando grande volatilidade na s√©rie interanual, uma vez que o ponto anterior, fevereiro de 2024, registrou alta de 10,7%. No ano, o setor acumula ganhos, passando de -0,1% at√© mar√ßo para 3,5% at√© abril. Adicionamente, em termos de resultado acumulado nos √ļltimos doze meses, ao passar de 0,8% at√© mar√ßo para 2,4% em abril, o setor tamb√©m mostra intensifica√ß√£o de ritmo de crescimento.

O setor de¬†M√≥veis e eletrodom√©sticos¬†avan√ßou 8,0% nas vendas na compara√ß√£o com o mesmo m√™s do ano anterior, voltando ao campo positivo nesse indicador, j√° que o m√™s de mar√ßo registrou queda de 4,4%. Com isso, a atividade exerceu a segunda maior contribui√ß√£o, no indicador interanual de volume, somando 0,5 p.p. ao total de 2,2% do varejo. Ainda na leitura interanual, nos √ļltimos 18 meses, o setor apresentou 14 resultados positivos e quatro negativos. Em rela√ß√£o ao acumulado no ano at√© abril, ao passar de -0,3% at√© mar√ßo para 1,7% no m√™s de refer√™ncia, a atividade mostra aumento no ritmo de ganhos. O mesmo se d√° para o acumulado de 12 meses, que passa de 1,1% at√© mar√ßo para 1,9% at√© abril.

A atividade de¬†Outros artigos de uso pessoal e dom√©stico, que engloba lojas de departamentos, √≥ticas, joalherias, artigos esportivos, brinquedos, entre outros, no indicador interanual, apresentou crescimento pelo terceiro m√™s consecutivo: para o m√™s de abril de 2024 o resultado foi de 4,6% em rela√ß√£o ao mesmo m√™s de 2023. Com isso, o setor exerceu a terceira maior influ√™ncia, no campo positivo, na compara√ß√£o m√™s / mesmo m√™s do ano anterior, somando 0,4 p.p ao total de 2,2%. No ano, o resultado √© positivo em 6,1% at√© abril para o setor, ganhos menos intensos do que at√© o m√™s de mar√ßo (6,6%). No indicador dos √ļltimos doze meses, h√° perdas ao longo dos √ļltimos 23 pontos, sendo de 5,4% at√© abril de 2024.

O grupo de¬†Livros, jornais, revistas e papelaria¬†apresentou alta de 2,4% nas vendas frente a abril de 2023, primeiro ponto no campo positivo ap√≥s 14 meses registrando quedas. No ano, a atividade acumula perdas pelo d√©cimo m√™s seguido, chegando a -7,3% at√© abril. Nos √ļltimos doze meses, o cen√°rio √© similar: oito meses negativos consecutivos, atingindo -8,0% at√© abril.

O setor de¬†Combust√≠veis e lubrificantes¬†apresentou aumento (1,8%) no volume de vendas frente a abril de 2023 pela primeira vez desde janeiro de 2024: 0,8% em janeiro, -0,2% em fevereiro e -4,9% em mar√ßo. Em rela√ß√£o ao acumulado no ano at√© abril, ao passar de -1,6% at√© mar√ßo para -0,7% no m√™s de refer√™ncia, a atividade mostra diminui√ß√£o no ritmo de perdas. Em termos do acumulado nos √ļltimos doze meses, o resultado tamb√©m √© negativo: -0,6% at√© mar√ßo contra -1,0% at√© abril.

A atividade de Hiper, supermercados, produtos  alimentícios, bebidas e fumo apresentou queda de 1,3% nas vendas frente a abril de 2023, primeiro resultado negativo para esse indicador desde julho de 2022 (-0,3%).

Supermercados
Supermercado (Imagem: unsplash/Victoriano Izquierdo)

Com isso, o setor alcan√ßou a maior contribui√ß√£o, no campo negativo, somando -0,7 p.p. ao total de 2,2% do varejo. No ano, o setor acumula 5,6% de crescimento at√© abril, abaixo do patamar de mar√ßo (8,0%). O mesmo se d√° para o indicador acumulado dos √ļltimos 12 meses, que passa de 5,0% de ganhos at√© mar√ßo para 4,6% at√© abril.

O volume de vendas da atividade de¬†Tecidos, vestu√°rio e cal√ßados¬†caiu 1,5% nas vendas frente a abril de 2023, terceiro resultado negativo consecutivo. Com isso, atividade registrou a segunda maior queda, no indicador interanual, dentre todas as oito atividades do com√©rcio varejista, contribuindo com -0,1 p.p. ao total de 2,2%. No ano, o setor acumula perda de 0,6% em rela√ß√£o ao mesmo per√≠odo do ano de 2023.¬† No acumulado nos √ļltimos 12 meses, ao passar de aumento de -3,8% at√© mar√ßo para -3,0% em abril, o setor demonstra redu√ß√£o no ritmo de perdas.

No¬†varejo ampliado, a atividade de¬†Ve√≠culos e motos, partes e pe√ßas¬†cresceu 28,8% em abril de 2024 em rela√ß√£o a abril de 2023, maior resultado, em termos de amplitude, desde junho de 2021, quando alcan√ßou 32,9%. O resultado de abril tamb√©m posiciona o setor como o de maior contribui√ß√£o dentre os 11 pesquisados para o varejo ampliado, alcan√ßando 4,9 p.p. do total de 4,9%. No acumulado do ano, o setor demonstra acelera√ß√£o, passando de 9,4% at√© mar√ßo para 14,0% at√© abril. O mesmo se deu para o acumulado dos √ļltimos 12 meses, passando de 9,2% at√© mar√ßo para 11,6% at√© abril.¬†

Da mesma forma que o setor automobil√≠stico, o grupo de¬†Material de constru√ß√£o¬†apresentou alta nas vendas frente a abril de 2023 (16,3%), primeira no campo negativo, depois de registrar -9,5% em mar√ßo, e a maior, em amplitude, desde maio de 2021, quando havia registrado 25,7%. Os demais indicadores tamb√©m apresentaram crescimento para a atividade. Em rela√ß√£o ao acumulado no ano at√© abril, ao passar de -1,8% at√© mar√ßo para 2,4% at√© o m√™s de refer√™ncia, a atividade mostra aumento no ritmo de ganhos. Nos √ļltimos 12 meses, o cen√°rio tamb√©m se inverte, passando de perdas acumuladas de 1,5% at√© mar√ßo para ganhos de 0,3% at√© abril de 2024.

Tamb√©m compondo o varejo ampliado, o¬†Atacado de produtos aliment√≠cios, bebidas e fumo¬†obteve sua segunda taxa negativa consecutiva: -22,9% em mar√ßo e -13,0% em abril 2024. Anteriormente o setor havia registrado sete taxas consecutivas no campo positivo: de agosto de 2023 (8,2%) at√© fevereiro de 2024 (10,9%). No ano, com a entrada de abril, a atividade passa a apresentar perdas pelo segundo m√™s: -2,1% at√© mar√ßo e -5,0% at√© abril. O indicador dos √ļltimos 12 meses continua a sustentas ganhos: 0,9% at√© abril.¬†

Varejo cresce 4,0% no segundo bimestre

No segundo bimestre deste ano, na compara√ß√£o com o mesmo bimestre de 2023, o¬†varejo avan√ßou¬†4,0%, 10¬™ taxa positiva consecutiva (o √ļltimo bimestre com varia√ß√£o negativa foi o quarto de 2022: -2,0%). Cinco atividades acompanharam o crescimento do indicador global e fecham o bimestre com resultados positivos:¬†Artigos farmac√™uticos, m√©dicos, ortop√©dicos e de perfumaria¬†(14,9%),¬†Outros artigos de uso pessoal e dom√©stico¬†(9,0%),¬†Hiper, supermercados, produtos aliment√≠cios, bebidas e fumos¬†(3,6%),¬†M√≥veis e eletrodom√©sticos¬†(1,3%) e¬†Equipamentos e materiais para escrit√≥rio, inform√°tica e comunica√ß√£o¬†(0,1%).

Por outro lado, três atividades fecharam o bimestre com taxas negativas: Livros, jornais, revistas e artigos de papelaria (-7,4%), Combustíveis e lubrificantes      (-1,7%) e Tecidos, vestuário e calçados (-1,2%).

No¬†varejo ampliado, o resultado para o segundo bimestre de 2024 foi de 1,6%, que √© o s√©timo no campo positivo (o √ļltimo no campo negativo foi o primeiro bimestre de 2023: -0,1%). Enquanto¬†Ve√≠culos, motos, partes e pe√ßas¬†(13,9%),¬†Material de constru√ß√£o¬†(2,2%) tiveram alta,¬†Atacado de produtos aliment√≠cios, bebidas e fumo¬†teve resultado negativo (-18,5%).

Vendas crescem em 18 unidades da Federação em relação a março

Na passagem de mar√ßo para abril de 2024, na s√©rie com ajuste sazonal, a varia√ß√£o no volume de vendas do¬†com√©rcio varejista¬†foi de 0,9%, com resultados no campo positivo em 18 das 27 unidades da federa√ß√£o (UFs), com destaque para: Rond√īnia (5,1%), Roraima (4,5%) e Amap√° (3,7%).¬† Por outro lado, nove unidades da federa√ß√£o ficaram no campo negativo, com destaque para: Maranh√£o (-1,4%), Bahia (-1,2%) e Para√≠ba (-1,1%).

Na mesma comparação, o comércio varejista ampliado registrou resultados positivos em 16 das 27 unidades da federação, com destaque para: Goiás (8,2%), Roraima (7,3%) e Amapá (5,2%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram 11 das 27 unidades da federação, com destaque para São Paulo (-4,1%), Maranhão (-3,7%) e Tocantins (-3,0%).

Na comparação anual, vendas sobem em 25 unidades da federação

Frente a  abril  de 2023, a variação das vendas no comércio varejista foi de 2,2%, com resultados positivos em 25 das 27 unidades da federação, com destaque para: Amapá (21,7%), Tocantins (12,2%) e Acre (9,3%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram duas UFs: Santa Catarina (-2,0%) e Mato Grosso (-1,2%).

J√° no¬†com√©rcio varejista ampliado, a varia√ß√£o entre abril de 2024 e abril de 2023 mostrou um crescimento de 4,9% com resultados positivos em 26 das 27 unidades da federa√ß√£o, com destaque para: Amap√° (23,8%), Goi√°s (22,8%) e Distrito Federal (13,6%). Tocantins foi a √ļnica unidade da federa√ß√£o a apresentar resultado no campo negativo para esse indicador (-1,3%). ¬†

O Dinheirama √© o melhor portal de conte√ļdo para voc√™ que precisa aprender finan√ßas, mas nunca teve facilidade com os n√ļmeros.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informa√ß√£o e atesta a apura√ß√£o de todo o conte√ļdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que n√£o faz qualquer tipo de recomenda√ß√£o de investimento, n√£o se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.