Trabalhar por conta própria, fazer seu horário e ter a liberdade de não precisar bater ponto é o sonho de muita gente. Além disso, em tempos de crise financeira, fazer trabalhos extras para ganhar uma renda adicional tem se tornado mais do que uma vontade, mas uma necessidade.

Por isso, atuar como freelancer é uma ótima opção para aumentar a sua renda e até mesmo conquistar a tão sonhada independência financeira (se você quiser fazer só isso). Porém, todo esse desejo só será concretizado se você planejar muito bem as coisas e seus passos.

Se você está pensando em “freelar”, confira algumas dicas para dar os primeiros passos e, claro, ganhar dinheiro!

1. Identifique seu potencial e o que gosta de fazer

Todos nós temos talentos, facilidades em algumas áreas ou conhecimentos. Saiba identificá-los e tenha em mente que o seu conhecimento tem valor. É muito importante ter isso claro, pois não damos o valor devido e aquele conhecimento fica ali guardado ou apenas serve de quebra galho para fazer favores para amigos e parentes.

Dito isso, estabeleça que tipo de trabalho você poderia oferecer como freelancer. Se você gosta de escrever, que tal fazer posts para blogs ou sites? Se você é o cara que arruma os computadores da família, por que não fazer disso um negócio?

Enfim, o primeiro passo é identificar o que você gosta e sabe fazer e buscar quem não tem o seu conhecimento e aceite pagar pelo seu serviço.

Dica: procure entender que tipos de problemas os seus conhecimentos podem resolver. Assim fica mais fácil definir que tipos de serviços você pode oferecer e para quem.

Leitura recomendada: Firme no propósito: 5 passos para alcançar objetivos de médio e longo prazo

2. Faça uma pesquisa prévia da sua área de atuação

Para saber como começar e quanto cobrar, faça uma pesquisa na Internet relacionada aos serviços que pretende oferecer. Atualmente, há diversas plataformas online que oferecem trabalhos de freelancer. Assim, você saberá como está a concorrência, os valores praticados e como os profissionais “vendem o peixe”.

Você pode começar por esses sites: 99 designs, GetNinjas, Fiverr. É nesses mesmos sites que você pode encontrar freelas para você.

3. Primeiros passos para os primeiros “jobs”

Para conseguir bons clientes você precisa construir um histórico de trabalhos para mostrar o que já fez e é capaz de fazer. Por isso, é preciso começar de algum lugar e o melhor lugar é o seu círculo de relacionamento. Você não faz ideia de como relacionamento é tudo para um freelancer bem-sucedido.

Comece oferecendo o seu trabalho para amigos, conhecidos e profissionais que atuam em empresas em que você já trabalhou. Por exemplo, você trabalhou em uma empresa no passado como webdesigner, redator, contador e etc.? Que tal retomar contato e se colocar à disposição para futuros projetos?

Como a empresa já te conhece (e se você saiu bem de lá, as portas ficaram abertas), você pode se tornar um fornecedor. Já pensou? Fale com seus amigos, explique os serviços que você tem a oferecer e entenda melhor o que eles fazem. Assim você poderá sugerir alguns trabalhos antes mesmos de te procurarem.

Leitura recomendada: Que tal mudar de hábitos para enriquecer? Sim, isso é bem possível!

4. Organize a casa para começar bem

Muitos freelancers trabalham sem emitir notas fiscais e assim não pagam imposto. Isso pode funcionar para alguns, apesar de não acharmos isso correto, porém evita que a pessoa cresça e conquiste bons clientes. Isso porque empresas sérias e idôneas só fecham um projeto com freelancer que emite nota fiscal, claro.

Se você quer levar a vida de freelancer a sério e progredir, faça tudo como manda o figurino: abra a sua empresa! Se não souber como fazê-lo, dê os primeiros passos com a ajuda de um contador. Além de trabalhar legalizado, você pode contribuir para a previdência e garantir a aposentadoria e outros auxílios.

Dica: uma forma barata de se tornar um freelancer legalizado é fazer o cadastro de Microempreendedor Individual (MEI). Os custos para se tornar um MEI são baixos e você garante a previdência e ainda conta com assessoria do Sebrae para alavancar os seus negócios. Saiba mais aqui.

5. Dinheiro barato x bom dinheiro

Como freelancer, é comum que algumas pessoas se aproximem pedindo um trabalho como se você fosse um “quebra-galho” ou a “opção barata”. Como foi dito no início, saiba dar valor ao seu trabalho e filtrar o que pode fazer, o que quer fazer e o que consegue entregar.

E o mais importante: saiba dizer “Não” quando não valer a pena. Como você está trabalhando por conta própria, deverá saber quanto vale a sua hora. Assim, ao precificar o projeto considere quantas horas deverá dedicar para finalizar e adicione o quanto incidirá de imposto. Dessa forma você terá uma ideia de quanto cobrar.

Além disso, saiba dosar entre projetos que você consegue entregar rápido, para ter algum dinheiro na mão logo, e projetos que levarão mais tempo e que, por isso, o dinheiro levará mais tempo para cair na conta também.

Desse jeito você terá projetos curtos, que manterão um fluxo de dinheiro caindo na conta, e projetos maiores, com datas fixas do montante que fará uma maior diferença no final do mês.

Assim você mantém um fluxo de caixa que permita a você organizar as suas despesas e ganhos de forma inteligente. E mais: você pode usar o dinheiro rápido para pagar custos fixos e o bom dinheiro daquele projeto maior para investir ou melhorar a sua exposição criando um website sobre o seu trabalho, fazendo cartões de visitas ou materiais de divulgação.

6. Organize as suas finanças

Conforme os projetos chegam e você já tem uma empresa aberta, o terceiro passo é abrir uma conta jurídica. Assim, você paga os custos da empresa por lá, como os impostos, contador (se tiver) e também recebe por lá.

Pessoa jurídica separada da pessoa física, sempre! Isso é fundamental para saber o quão rentável está sendo o seu negócio. Se você misturar o dinheiro da empresa com a sua conta corrente de pessoa física ficará bem difícil traçar um panorama de como os negócios estão indo.

Leitura recomendada: Como freelancers devem cuidar do seu dinheiro

Dica bônus: o não você já tem!

Não deixe de oferecer o seu trabalho com receio de receber um “Não”. Lembre-se que o “Não” você já tem se não tentar; assim, se tentar há 50% de chance de conseguir! Digo isso, pois muitas vezes desmerecemos nosso potencial.

Além disso, não fique esperando que venham atrás de você. Saiba identificar potenciais oportunidades e ofereça o seu trabalho. Não desista! Seja perseverante, entregue bons trabalhos para manter clientes e para que eles indiquem você para outros.

Fazendo bem feito, você irá construir uma rede de relacionamento e clientes que farão o seu negócio ser bem-sucedido! Há uma frase de Bill Eardley que resume o sentimento que tive ao escrever este texto: “Ambição é o caminho para o sucesso. Persistência é o veículo no qual se chega lá”. Que tal?

Foto “Freelancer”, Shutterstock.

Daniella Gomes
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários