Home Estilo de Vida Visão do filme “Barbie” sobre patriarcado repercute em elenco e público adolescente

Visão do filme “Barbie” sobre patriarcado repercute em elenco e público adolescente

O filme se move entre a Barbielândia, administrada pela presidente Barbie e outras bonecas, e o Mundo Real -- um patriarcado governado por homens que oferecem poucas oportunidades às mulheres

por Reuters
0 comentário

O ator Simu Liu, que interpretou um dos tantos Kens em “Barbie“, filme indicado ao Oscar, teve uma revelação quando leu pela primeira vez o roteiro e seus comentários sobre os danos causados pelo patriarcado.

“Todos nós gostamos de pensar que somos diferentes, que somos progressistas”, disse Liu em uma entrevista à Reuters. “E então lemos uma cena que nos chama a atenção de forma tão completa e absoluta que eu penso: ‘Ah, sim, eu sou parte do problema’.”

“Barbie”, que disputará a categoria de melhor filme no Oscar de domingo, gerou 1,4 bilhão de dólares nas bilheterias mundiais em 2023. Co-escrito pelo casal Greta Gerwig e Noah Baumbach, ele também contribuiu para mudar algumas atitudes em relação a homens e mulheres.

O filme se move entre a Barbielândia, administrada pela presidente Barbie e outras bonecas, e o Mundo Real — um patriarcado governado por homens que oferecem poucas oportunidades às mulheres.

Liu destacou as cenas em que os Kens tentam impressionar as Barbies tocando a música “Push”, do Matchbox Twenty, no violão, enquanto as mulheres olham fixamente em seus olhos.

“Minha mente imediatamente se lembrou de mim com 19 anos, na faculdade”, disse Liu sobre a cena. “Sim, definitivamente sou eu.”

O ator disse que achava que o objetivo do filme era mostrar que o patriarcado “é simplesmente ruim para todos”.

“Ele afeta os homens porque coloca em nossas mentes essas coisas estranhas sobre o que temos que ser e quem temos que ser”, disse ele. “E então, obviamente, torna as coisas muito difíceis para as mulheres.”

A Dra. Ellen Rome, chefe do departamento de medicina para adolescentes do Hospital para Crianças de Cleveland, procurou saber as reações ao filme de cerca de 100 pré-adolescentes, adolescentes e seus pais que visitaram sua clínica após o lançamento do filme.

A maioria das crianças “percebeu como o patriarcado da sociedade é normativo e como ele pode afetar negativamente tanto as mulheres quanto os homens”, disse Rome. “Crianças de 11, 12 e 13 anos entenderam isso.”

Os meninos “viram e puderam perceber como era inadequado tratar as mulheres como objetos ou fazer comentários negativos sobre elas”, disse ela.

Rome disse que gostou do fato de o filme abordar diretamente a saúde mental. A “Barbie estereotipada”, interpretada pela atriz Margot Robbie, lidou com depressão e pensamentos de morte e conseguiu superar isso.

“Eles abordaram muito bem o fato de que os problemas de saúde mental podem afetar qualquer pessoa e que é possível fazer a jornada do herói para enfrentar a depressão e descobrir como se fortalecer”, disse ela.

Rome, no entanto, também fez algumas críticas. Ela disse que o filme mostra pouca diversidade corporal entre as Barbies e os Kens. Não havia Kens com obesidade, por exemplo.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.