Você sabia que as influências que recebemos na infância moldam o nosso modelo financeiro e podem nos conduzir a pensamentos e hábitos autodestrutivos?

Faça um exercício agora: volte à sua infância e tente lembrar quais foram as frases e os ensinamentos que você recebeu em relação ao dinheiro e ao ato de poupar.

  • Você teve um cofrinho?
  • Qual era o sentimento que você tinha quando colocava as moedinhas nele?
  • Você achava pouco ou ficava feliz, pois sabia que um dia aquele “pouquinho” iria virar “muitão”?

Independente das suas respostas, saiba que as suas atitudes hoje são reflexos desse passado. Se você sempre achou pouco guardar R$ 0,05 no cofrinho, talvez hoje tenha muita dificuldade de guardar R$ 50,00 por mês.

Por que será que isso acontece? Por que temos tanta dificuldade em guardar dinheiro? Listo algumas dicas para lidarmos e revertermos este quadro, afinal sempre dá tempo de trabalhar as finanças pessoais de forma mais inteligente:

  1. Se os seus pensamentos não mudarem, seus hábitos serão os mesmos e, seus resultados, iguais aos que você já tem hoje;
  2. Se você não sabe onde quer chegar e o que deseja conquistar, qualquer coisa vai te satisfazer. Você precisa saber quem é, ter sonhos e objetivos claros a serem alcançados;
  3. O seu dinheiro precisa ter um propósito, um destino. Se você não souber o destino do dinheiro, ele se perderá e você nem se dará conta;
  4. Você precisa entender que o tempo é o seu maior aliado. Quanto mais você poupar, por mais tempo, mais você terá no futuro e, assim, maior será o seu poder de compra. Lute contra o impulso e o consumismo;
  5. Os seus rendimentos e investimentos crescerão na mesma medida em que você cresce. O que será que você tem feito com todo o aprendizado que recebe? Você tem colocado isso em prática na sua vida?

Leitura recomendada: Planejamento financeiro: 5 etapas para mudar sua vida de forma definitiva

A grande diferença entre as pessoas de sucesso e aquelas que sempre buscam o mesmo e nunca conseguem é relativamente simples: gente bem-sucedida colocam a teoria em prática! Vamos praticar?

Pare e reflita: o que você tem feito na sua vida financeira? Quantas coisas você já aprendeu? Quantos livros você já leu? Se você é interessado e as respostas foram positivas no sentido de ter aprendido muita coisa, agora responda sinceramente: você coloca tudo isso em prática na sua vida? Transforma esse conhecimento em resultados?

Sempre digo que Educação Financeira é muito mais que o simples preenchimento de planilhas; é mudança de hábitos e de comportamentos. Faça um pouquinho hoje, mais um pouquinho amanhã. Poupe um pouquinho hoje, outro pouquinho amanhã… E seja feliz!

Leitura recomendada: Crianças e educação financeira: bons hábitos que podem mudar o futuro

Gosto muito de um pensamento que diz mais ou menos assim: “Se você deseja mudar os frutos, primeiro tem que trocar as raízes. Quando se deseja alterar o que está visível, antes deve modificar o que está invisível”. Pratique a educação financeira!

Foto “Heading toward Money”, Shutterstock.

Marcio Martins
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários