Você deve estar cansado de saber que 31 de outubro é o Dia do Halloween, certo? Passada a semana de agito em torno deste assunto, é hora de relembrar algo interessante. O que provavelmente você – e a maioria dos brasileiros – não sabe é que esse é também o Dia Mundial da Poupança.

Infelizmente, a grande mídia enfoca mais a primeira comemoração do que a segunda. Por quê? Não faço a menor ideia. Nada contra as bruxas, fantasias, doces ou travessuras, mas convenhamos, a poupança deveria ter um destaque maior.

É por essa falta de cultura, interesse, informação e de tantas outras coisas que vivemos em um país que não tem cultura poupadora. Poupar dinheiro, mais do que um hábito, mais do que uma mera decisão financeira, é um sinal de consciência social para consigo e com os outros a seu redor.

Muitas pessoas cometem o equívoco de ver a poupança como um mero luxo: “Se eu puder, eu poupo!”. Se puder? Ora, você tem que dar um jeito de poder. É o seu futuro e daqueles que você ama que está em jogo e isso, certamente, não é um luxo, mas sim uma necessidade – como tal, precisa ser priorizada.

Economizar dinheiro não é meramente uma decisão econômica. Não é apenas abdicar do consumo de alguma coisa hoje para consumir mais dela amanhã. Economizar é, sobretudo, desenvolver a consciência da importância de planejar o futuro.

Precisamos estar financeiramente preparados para as oportunidades e adversidades que encontraremos ao longo da vida. Ter um fundo de reserva é a melhor maneira de superar os momentos ruins e conseguir aproveitar os bons momentos que estão por vir.

Leitura recomendada: 5 passos para você criar sua reserva de emergência (ou fundo de reserva)

Evidentemente, iniciar um plano de poupança requer organizar sua vida financeira, abrir mão do consumo de algumas frugalidades do dia a dia, mas, acima de tudo, requer atitude. Atitude para realmente começar, independente do quão difícil ou dolorosa possa ser essa decisão.

Você pode até começar uma poupança sem entender muito de finanças e até mesmo sem ter seu orçamento organizado, mas você jamais – eu disse jamais – irá conseguir poupar caso não esteja fortemente engajado nesse propósito.

Para que haja esse engajamento é preciso, antes de qualquer coisa, que se tenha consciência da importância da poupança para a sua vida e seu futuro.

O sonho de enriquecer que cada um de nós tem em maior ou menor grau passa, em boa medida, pela nossa capacidade de poupança. Conseguir guardar parte dos nossos rendimentos todo mês é imprescindível para construir essa riqueza, afinal, só fica rico quem investe; e só investe quem poupa.

Se você ainda não começou a fazer sua poupança, trate logo de comprar seu cofrinho. Não subestime o poder das pequenas economias. De moeda em moeda é que se engorda o cofre. E se o seu está passando fome, trate de alimentá-lo ainda hoje. Saiba que é assim, passo a passo, moeda a moeda, que se constrói uma vida financeira próspera.

Leitura recomendada: 3 atitudes capazes de mudar sua vida financeira

Escolher entre doces ou travessuras é fácil! Difícil mesmo é a escolha entre comprar ou poupar. Porém, as escolhas mais importantes da vida não são fáceis mesmo. Cabe a você decidir o que quer para o seu futuro.

Foto “Start saving”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários