Falamos sobre a enorme quantidade de pessoas que financia suas faturas de cartão de crédito. Falamos também do grande número de pessoas que recorre aos financiamentos e empréstimos nos bancos. Por trás destas atitudes está o ímpeto de comprar, de possuir e, algumas vezes, de ostentar. Muitas vezes, nem as compras essenciais são sabiamente compradas e as pequenas diferenças é que despedaçam o orçamento mensal. Então, você sabe comprar?

Separei algumas perguntas simples mas que podem ajudá-lo no dia-a-dia e principalmente na economia e melhor aproveitamento do seu dinheiro. Muitas vezes pagamos mais porque não pedimos desconto ou porque não pesquisamos em mais um ou dois lugares. Além disso, é preciso saber que um bom negócio nunca consiste em fechar pelo preço anunciado, mas pelo que você conseguir chegar depois de reclamar um desconto ou abatimento.

Você tem o costume de pedir desconto? E de pesquisar? Isso significa saber negociar. Uma dica: chegue sem muitas pretensões de comprar o produto, demonstre menos interesse do que gostaria e deixe o vendedor tentar conquistá-lo. Se você se mostrar muito afoito para comprar algo, ele será o primeiro a perceber que pode cobrar mais. Depois de negociar, peça sempre mais desconto e procure pagar à vista. Se a sua negociação for parar na mesa do gerente, é porque você está chegando no preço justo.

Gosta de comprar tudo que é novidade? Cuidado, os novos produtos sempre trazem margens maiores, uma vez que revendas e fornecedor não sabem ao certo a reação do público. Evite ao máximo tais lançamentos.

Você sabe quanto pode gastar? A maioria das pessoas não possui nenhum tipo de controle de receitas e despesas, e isso faz com suas compras sejam baseadas apenas nos desejos e vontades e não no fluxo de caixa mensal. Portanto, organize-se antes de sair às compras de maneira que saiba quanto pode gastar sem ferir seu orçamento. É simples: se você tem dinheiro para pagar as prestações de algo que quer comprar, tem dinheiro para economizar e comprá-lo depois de certo tempo, pagando à vista. Certo?

Mais sobre orçamento, clique aqui.

Repare que são dicas simples, muitas vezes óbvias. Qual o problema então? É o gosto pela complicação e pela “sensação de liberdade”. O orçamento bem feito engessa e mostra, sem dó, onde está o “ralo”. Preferimos não enxergar a aceitar que aquilo é nossa responsabilidade. Pense nisso. Um abraço e até a próxima.

PS: Que tal se você pudesse comprar os ovos de Páscoa com até 12 parcelas? Claro, com muitos juros! É uma facilidade que vai deixá-lo tão feliz, que vai lembrar da Páscoa até o Natal. Tudo porque as pessoas não querem planejar, colocar o dedo na ferida. Não está acreditando na notícia? Então clique aqui.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários