Depois de criar um enorme conflito, interrompendo o processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff o deputado Waldir Maranhão, no final da noite desta segunda-feira (9), revogou sua decisão do início do dia, após sofrer inúmeras pressões por parte do seu partido (PP), que ameaçavam expulsá-lo, seu medo foi o de perder o mandato e não receber apoio para suportar as medidas contrárias a seu ato também de outros parlamentares.

Horas antes o presidente do Senado, Renan Calheiros, havia decidido não acatar a determinação de Waldir Maranhão e consequentemente dar seguimento ao processo de afastamento de Dilma.

Consumidor pode arcar com R$ 14,2 bilhões na conta de luz

Se a Medida Provisória (MP) 706/2015 for aprovada da forma como foi apresentada ao Congresso na semana passada, o consumidor terá que pagar R$ 14,2 bilhões a mais na conta de luz até 2020, a serem repassados por meio de um novo tarifaço em 2017.

O rombo, calculado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), inclui o aumento do subsídio, o repasse de ineficiências das distribuidoras da Eletrobrás no Norte do País para a conta de luz e a injeção de recursos do Tesouro Nacional. Mais gastos à espera do consumidor.

E-book gratuito recomendado10 Atitudes para Transformar sua Vida Financeira

Supremo pode julgar mérito de impeachment, diz Lewandowski

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, afirmou que o tribunal pode vir a julgar o mérito do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Em reunião com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, Lewandowski informou que, até o momento, “do ponto de vista do procedimental formal”, o processo transcorre conforme decisão da Corte máxima do país.

Ao responder questionamento do secretário-geral da OEA acerca de preocupações sobre o mérito do procedimento de afastamento da presidente Dilma, o presidente do STF deixou em aberto a possibilidade de a Corte, caso consultada, se posicionar sobre o tema.

Mercado financeiro

O deputado Waldir Maranhão conseguiu transformar esta segunda-feira em um dia de enormes incertezas para o mercado. Logo após a divulgação de sua medida que interrompia o processo de impeachment, rapidamente a bolsa desabou e o câmbio também foi afetado. Ao longo do dia com a sinalização de que a medida dificilmente seria acatada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, o mercado foi se tranquilizando e agora, tudo indica que a votação que definirá o provável afastamento de Dilma, no plenário do senado está efetivamente marcada para quarta-feira (11).

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo opera as 11h17 minutos em alta de +1,95% com 51.985 pontos, enquanto o dólar segue em baixa de -1,32% sendo negociado a R$ 3,48.

Foto: Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários