Home Economia e Política Yellen diz que preocupações globais com excesso de capacidade industrial da China estão aumentando

Yellen diz que preocupações globais com excesso de capacidade industrial da China estão aumentando

"Realizamos intercâmbios técnicos entre nossas partes, incluindo um exercício sobre como lidaríamos conjuntamente com a falência de um grande banco nos EUA ou na China", disse Yellen

por Reuters
3 min leitura

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse nesta sexta-feira que as preocupações com as consequências econômicas globais do excesso de capacidade de produção da China estão aumentando, tornando a questão o foco principal de quatro dias de reuniões econômicas com autoridades chinesas.

A China se beneficiaria com a redução do excesso de capacidade industrial que está pressionando outras economias, disse Yellen em comentários para um público de cerca de 40 representantes da Câmara de Comércio norte-americana em Guangzhou.

“O excesso de capacidade não é um problema novo, mas se intensificou, e estamos vendo riscos emergindo em novos setores”, disse Yellen no centro de exportação de Guangzhou, no sul da China, onde se reuniu com o vice-primeiro-ministro, He Lifeng, e o governador da província de Guangdong, Wang Weizhong.

Yellen e outras autoridades do governo Biden estão cada vez mais preocupadas com a superprodução chinesa de veículos elétricos, painéis solares, semicondutores e outros produtos que estão inundando os mercados globais diante da queda da demanda no mercado interno da China.

Ela disse que isso não é saudável para a China e está prejudicando os produtores de outros países, pedindo a Pequim que se afaste do investimento orientado pelo Estado e retorne às reformas orientadas para o mercado que alimentaram o crescimento nas últimas décadas.

Embora as tensões entre a China e os EUA sobre uma série de questões tenham aumentado, Yellen destacou as áreas de interesse mútuo em um diálogo lançado durante sua primeira visita à China em julho passado, incluindo o combate às mudanças climáticas e às finanças ilícitas.

Ela disse que um grupo de trabalho financeiro representando os dois lados está trabalhando em medidas para conter os riscos financeiros de uma possível falência bancária em qualquer uma das economias.

“Realizamos intercâmbios técnicos entre nossas partes, incluindo um exercício sobre como lidaríamos conjuntamente com a falência de um grande banco nos EUA ou na China”, disse Yellen, sem fornecer mais detalhes sobre as conclusões dessa análise.

A China estabeleceu uma meta ambiciosa de crescimento econômico de 5% para 2024, impulsionada, em parte, por mais investimentos em novos setores de alta tecnologia, à medida que a economia luta para superar uma crise imobiliária e a demanda fraca dos consumidores.

No entanto, muitos economistas afirmam que o modelo de crescimento da China precisa de uma grande reformulação para estimular o consumo interno e reduzir sua tradicional e forte dependência de investimentos.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.