13º salário: chegou a época de muita gente começar a receber a quantia extra tão aguardada por quem é contratado pelo modelo CLT, ou seja, com carteira assinada. De acordo com o Dieese, serão cerca de 81 milhões de brasileiros com um dim dim a mais em mãos, o que ajuda a movimentar bastante a economia, mas requer um pouco de atenção para que o uso seja o melhor possível.

Ninguém nega que receber um dinheiro extra é mais do que bom, mas no lugar de apenas torrá-lo, que tal aproveitar para colocar as contas em ordem, planejar o uso com cuidado, e iniciar um ano novo mais equilibrado financeiramente?

Carlos Terceiro, CEO do Mobills, aplicativo de gestão de finanças pessoais, preparou algumas dicas interessantes para uso do 13º salário. Separamos 5 delas para discutirmos melhor a respeito. Pronto?

1. Gaste menos com presentes

O primeiro ponto é relacionado aos gastos com presentes de Natal. Carlos lembra que muitas vezes um presente de menor valor pode ser mais importante que um presente caro e luxuoso. A gente já falou aqui no Dinheirama sobre focar especialmente nas coisas que o dinheiro não compra e são importantes, como dedicar tempo a um amigo querido. Também não é necessário presentear todo mundo. Uma solução para economizar e todos ganharem presente é fazer o famoso amigo secreto entre amigos e família.

2. Comece o ano sem dívidas

O 13º salário é uma ótima ferramenta para quem precisa negociar dívidas. O ideal é fazer uma oferta começando pelas que têm juros mais altos, como cheque especial e cartão de crédito. Se não conseguir usar o dinheiro todo para isso, separe ao menos uma parte para iniciar o ano que vem com o bolso mais tranquilo.

3.  Use o 13º salário para pensar no próximo ano

Sim, a hora é de pensar no próximo ano para que você não comece 2020 super apertado nas finanças. Lembre-se que assim que o ano começa alguns gastos habituais vêm junto, como IPVA, IPTU, matrícula escolar e material. Separe uma parte para estes gastos. Além disso, vale a pena conferir aquela lista de metas e sonhos e checar se não vale a pena começar a guardar para aqueles de curto e médio prazo.

4. Programe viagens com antecedência

O CEO da Mobills lembra que as viagens de fim de ano normalmente requerem planejamento, pois os preços são mais altos e há muita procura. “Se não for possível realizar a viagem nesse momento, guardar o dinheiro e esperar é a melhor solução para o futuro.”, aconselha. A gente já deu dicas sobre como gastar menos com viagens. Vale a pena aproveitar e guardar uma parte do 13º para pensar nas próximas com carinho e atenção se esse tipo de coisa fizer parte do seu planejamento!

5. Use o 13º salário para formar uma reserva 

Finalmente, se você não tem conseguido ver dinheiro sobrando ou não guarda nem um pouco da receita mensal porque não sobra, uma boa alternativa pode ser separar uma parte do 13º salário para iniciar a reserva de emergência. Outra opção para quem já tem a reserva é investir. “Nem que você invista apenas o dinheiro que sobrar após todos os gastos já previstos.”, sugere o CEO da Mobills. Como a gente costuma dizer aqui no Dinheirama, o importante é começar, mesmo que seja com pouco!

Comece a guadar dinheiro com valores mais baixos e  rentabilidade melhor do que a Poupança

Quem foi que disse que para guardar dinheiro você precisa ter muita grana? Na Grão, você consegue guardar a partir de R$ 1 e ainda tem rentabilide superior da caderneta da poupança.

Você só precisa abrir sua conta gratuitamente (Clique aqui e comece a guardar).

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários