Muita gente espera o final do ano para receber o dinheiro do 13º salário para ajustar as contas e retirar por algum tempo a “corda do pescoço”. A verdade é que o ano de 2014 foi um ano de elevação de juros, nesse sentido muita gente acabou se enrolando nas decisões de consumo e acabou sendo prejudicado por não usar com inteligência algumas ferramentas de crédito como cartão de crédito e o cheque especial.

Ao contrário do que ouvi alguns especialistas dizendo, usar o 13º para pagamento de dívidas é algo importante, afinal a responsabilidade de arrumar as contas é algo primordial, além do fato dos juros altos no país terem poder de destruir as finanças de muitas famílias.

Elimine as dívidas com cartão e cheque especial

Dentre as prioridades, a maior de todas é eliminar as dívidas com o uso do cartão de crédito, que hoje na média supera o percentual de 245% ao ano. O cheque especial, em média cobra juros de 166% ao ano.

Como base de comparação, a caderneta de poupança, o investimento mais comum entre os brasileiros, rende com os juros em 11,75% o percentual de 0,5% ao mês mais TR, não alcançando ao final de 2014 7% de rentabilidade.

A desproporção entre os percentuais dos juros para dívidas e investimentos é tão alta que não deixa dúvidas quanto a prioridade de eliminar dívidas antes de pensar em outros passos para consumir.

Reserva de emergência: fundamental para o futuro

Após eliminar as dívidas o primeiro compromisso das pessoas deve ser o de formar uma reserva de emergências. A maioria dos analistas e especialistas econômicos acreditam que 2015 será um ano de muita volatilidade e ajustes importantes que poderão comprometer o crescimento do país (no curto prazo) além de um primeiro momento levarem ao aumento no número do desemprego.

Para quem perde o emprego é fundamental a reserva de emergências que garanta a manutenção do padrão de vida da família, além de possibilitar as pessoas terem mais tranquilidades na hora de buscar uma nova recolocação.

Na hora de buscar um local apropriado para guardar sua reserva de emergência, procure sempre por produtos financeiros que ofereçam liquidez imediata e segurança. A caderneta de poupança além de oferecer esses itens também possui isenção de imposto de renda e taxas.

De olho nos melhores investimentos

Após, pagar suas dívidas e formar sua reserva de emergência é hora de pensar nos investimentos. Os juros altos, oferecem aos investidores a chance de bons ganhos com os produtos de renda fixa.

A Sandra Blanco, consultora de investimentos da Órama preparou um texto interessante sobre os melhores investimentos nos períodos de juros altos, recomendo sua leitura (Clique aqui para ler!).

Ao longo dos anos preparamos outros artigos interessantes sobre o tema 13º salários, a leitura dos artigos pode aumentar ainda mais sua consciência sobre o assunto e a necessidade de utilizar o dinheiro extra de forma consciente. Veja:

13º Salário: investir ou gastar? Como usar melhor a segunda parcela?

13o. salário, final de ano e a busca pela felicidade

Como aproveitar o seu décimo terceiro salário e não passar sufoco?

Agir com responsabilidade lembrando que o futuro precisa ser planejado é algo fundamental para quem busca o equilíbrio entre as finanças e a qualidade de vida. É fundamental saber o que se quer e só a partir daí com planejamento tomar as decisões mais inteligentes que te farão cada dia mais rico e feliz.

Um abraço e até a próxima!

Foto “Brazilian currency”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários